Bia Doria também testa positivo para o Coronavírus

A primeira-dama de São Paulo, Bia Doria, também foi diagnosticada com coronavírus nesta quarta-feira (12) da mesma forma que seu marido João Doria (PSDB).

Mias cedo, vice-governador, Rodrigo Garcia, fez a comunicação oficial de que Doria testou positivo na coletiva diária para atualizar as medidas de combate à pandemia.

Tanto o governador como a primeira-dama estão assintomáticos. Doria não vai se licenciar do cargo. Ele vai manter contato com a equipe de forma remota, a partir de sua casa, cumprindo o isolamento social.

Em vídeo divulgado na sua conta no Twitter, Doria disse que recebeu o diagnóstico positivo em seu sexto teste para saber se tinha covid-19. Ele disse que pretende usar ferramentas de videoconferência e o celular para continuar repassando as orientações à equipe de governo. “Durante os próximos dez dias estarei cumprindo este protocolo”, disse o governador.

Assista ao vídeo:

João Doria compartilhou o resultado do exame que lhe testou positivo para covid-19. “Compartilho o resultado positivo do meu exame de Covid-19. Já estou em isolamento e seguirei trabalhando de casa. Muito obrigado pelas mensagens de apoio que estou recebendo e orações”, disse o tucano.

Confira o documento:

LEIA TAMBÉM

Sputnik V: Médicos russos receberão doses da vacina contra Covid-19 em 2 semanas

O governo da Rússia anunciou nesta quarta-feira (12) que o primeiro lote de sua vacina contra a Covid-19 estará pronto para ser aplicado em alguns médicos em duas semanas e rebateu as preocupações “sem fundamento” em relação à segurança do imunizante levantadas por alguns especialistas.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse na terça-feira (11) que a Rússia havia se tornado o primeiro país a dar aprovação regulatória para uma vacina contra a Covid-19, depois de menos de dois meses de testes em humanos.

A vacina ainda não concluiu os testes em estágio avançado. Somente cerca de 10% dos ensaios clínicos foram bem-sucedidos e alguns cientistas temem que Moscou esteja colocando o prestígio nacional à frente da segurança.

“Parece que nossos colegas estrangeiros estão vendo as vantagens competitivas específicas do medicamento russo e estão tentando expressar opiniões que, em nossa visão, são completamente sem fundamento”, disse o ministro da Saúde, Mikhail Murashko, nesta quarta.

Ele disse que a vacina, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, de Moscou, será aplicada na população, incluindo em médicos, de forma voluntária, e estará pronta em breve.

“Os primeiros pacotes da vacina médica contra a infecção pelo coronavírus serão recebidos dentro das próximas duas semanas, primeiramente para médicos”, disse.

Alexander Gintsburg, diretor do Instituto Gamaleya, disse que os ensaios clínicos serão publicados assim que foram analisados pelos especialistas da própria Rússia.

Ele disse que a Rússia planeja ter capacidade para produzir 5 milhões de doses por mês entre dezembro e janeiro.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) acompanha o desenvolvimento da vacina russa e tem solicitado mais transparência no processo de produção da vacina, batizada de Sputnik V pelo governo Putin.

*Com informações da agência Reuters