Roberto Medina quer Réveillon de Copacabana sem “povão”

Publicado em 29 julho, 2020

O empresário Roberto Medina, criador do Rock in Rio, sugeriu ao prefeito do Rio de Janeiro a realização da tradicional festa de Réveillon de Copacabana sem a população.

Mas não a sugestão do empresário não é de uma ‘live’ com artistas transmitindo a partir de suas casas ou estúdios, como nos acostumamos a ver nesses tempos de pandemia.

.

O que Medina quer é barrar o povão e fazer uma festa só para os moradores da Avenida Atlântica da ‘Princesinha do Mar’ e para os turistas endinheirados que puderem pagar para se hospedar nos hotéis da orla.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) comentou a ideia pelo Twitter:

“E a ideia do empresário Roberto Medina de que o show de Réveillon do Rio esse ano seja visto APENAS por moradores da Zona Sul e turistas da orla?

.

Como se chama isso mesmo?”

E aí, como se chama? Eugenia? Discriminação? Ódio de classe? Ou o Medina é só sem noção mesmo? Ganhar dinheiro ele sabe…

.

O pretexto, é lógico, é a pandemia. Aliás, tem muita gente lucrando alto com a doença.

“Na minha visão, o carioca tem duas chances: ou não ter festa de réveillon ou celebrar de um jeito diferente, de forma que possa ser notícia no mundo inteiro. Temos que pensar na economia do nosso município, do nosso estado”; disse Medina.

“Só entraria na praia quem mora ali ou com passe especial dado aos hotéis da zona turística. O turistas chegariam de ônibus. E haveria o show de um artista incrível sozinho na praia, na pegada do Bocelli (o tenor Andrea Bocelli )…

.

Será que ele tem noção do ridículo que está propondo? Arrume um lugar privado e cobre ingresso, agora discriminar quem vai à Copacabana é muito absurdo.

Com informações do Extra

LEIA TAMBÉM