Madonna ‘desafina’ a favor da cloroquina e Instagram acusa fake news

A cantora Madonna “desafinou” no Instagram em postagem que defende o uso da hidroxicloroquina como um remédio eficaz para combater a Covid-19. A plataforma sinalizou o post da artista como “fake news” nesta terça-feira (28).

“A verdade irá nos libertar! Mas algumas pessoas não querem ouvir a verdade. Principalmente pessoas no poder que só querem ganhar dinheiro com essa demorada busca pela vacina, que já foi comprovada e está disponível há meses. Eles preferem deixar o medo controlá-los e deixar os ricos mais ricos enquanto os pobres e doentes ficam mais doentes”, escreveu Madonna na publicação -, que ainda cita a médica Stella Immanuel como a “sua heroína”.

Além de notificar o post como falso, a plataforma incluiu um link que direciona os usuários a uma página que desmembra as reivindicações citadas no vídeo e explica que ainda não há vacina contra o coronavírus. Após a notificação sobre fake news, o conteúdo foi retirado da página da cantora.

Apesar da polêmica em torno da cloroquina, a comunidade científica e médica em sua maioria reprova o uso do componente fármaco como eficaz para o tratamento do coronavírus.

LEIA TAMBÉM:

Moro responde a Aras [via Globo]

Coração de pedra, Bolsonaro veta prioridade a mulher chefe de família no pagamento do auxílio emergencial

Entidades lançam manifesto em defesa de Felipe Neto, alvo de ataques de bolsonaristas

Brasil se aproxima de 90 mil mortes pela Covid-19 nesta terça

O Ministério da Saúde atualizou na noite desta terça-feira (28) os dados sobre o avanço da Covid-19 pelo Brasil. Nas últimas 24 horas, o país registrou 921 mortes, elevando o total de óbitos a 88.539. No balanço apresentado pelo ministério não estão os números do estado de São Paulo desta terça.

Entre segunda e terça, a pasta confirmou 40.816 novas infecções pelo novo coronavírus – agora, o total oficial de casos chega a 2.483.191.

Segundo o governo federal, 673.092 pacientes seguem em acompanhamento e 1.721.560 pessoas se recuperaram da Covid-19.