Fake News: Moraes pede informações da Secom, BNDES, BB e Caixa sobre investimento em redes sociais

Publicado em 31 julho, 2020

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), o Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES), o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF) prestem informações sobre investimentos feitos em redes socais.

A decisão de Moraes é um desdobramento do inquérito das fake news, que apura a disseminação de notícias falsas e ameaças a integrantes do STF. Os três bancos públicos e a Secom foram notificados no último dia 25.

.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro visitou o Nordeste somente após bombardeio da Polícia Federal contra PT do Piauí

Bolsonaristas comemoram a ‘eleição’ de Weintraub para o Banco Mundial

Avó de Michelle Bolsonaro piora da Covid e é entubada

.

Por meio do detalhamento dos investimentos feitos em publicidade nas redes sociais, o ministro do Supremo busca saber se os bancos e o governo financiaram sites, blogs, portais e redes sociais que propagam fake news na internet.

Há suspeitas de que essa rede de fake news seja ligada ao “gabinete do ódio”, grupo liderado pelo vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que supostamente atua dentro do Palácio do Planalto fazendo ataques virtuais a autoridades, instituições democráticas e adversários políticos do presidente.

Com informações do G1