Estados Unidos: Mississipi decide retirar símbolo confederado de sua bandeira

Após semanas de protestos antirracistas nos Estados Unidos, impulsionados depois do assassinato pela polícia do cidadão negro George Floyd, em Minneapolis, um amplo debate sobre os símbolos e o passado de segregação racial nos Estados Unidos mobilizou diversos segmentos sociais da população norte-americana.

Movimentos como o Black Lives Matter pressionam por uma revisão histórica de símbolos e monumentos.

O parlamento do estado norte-americano de Mississipi, com forte passado segregacionista, decidiu remover o símbolo confederado de sua bandeira. Dois terços dos parlamentares locais adotaram uma resolução que autoriza o tratamento de um projeto de lei para redesenhar a bandeira do estado.

A cruz azul na diagonal, demarcada por pequenas estrelas brancas com um fundo vermelho representou os estados do Sul, contrários à abolição da escravatura, durante a Guerra Civil norte-americana (1861-1865).

LEIA TAMBÉM:

Queiroz, no ‘bico do urubu’, presta depoimento à Polícia Federal

Caiado defende lockdown de 14 dias em Goiás

Bolsonaro eleva rendimentos da cúpula militar em meio à pandemia de Covid-19

Mississipi era o último estado da União a usar o símbolo confederado em sua bandeira, depois que a Geórgia os eliminou em 2003.

O movimento de revisão histórica continua demandando a remoção de monumentos e de homenagens aos personagens históricos vinculados ao período da escravidão e de segregação racial nos EUA.