Bolsonaro eleva rendimentos da cúpula militar em meio à pandemia de Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro, para agradar os militares mais uma vez, elevou os rendimentos e benefícios do oficialato das Forças Armadas. Segundo reportagem do Estadão, um grupo de altos oficiais militares com salários brutos que podem chegar a R$ 50 mil terá um aumento de até R$ 1.600 nos rendimentos.

O benefício em questão se chama “adicional de habilitação” e foi criado ainda no governo FHC, direcionado a quem fez cursos ao longo da carreira. O valor era o mesmo desde 2001. Em 2019, Bolsonaro autorizou o reajuste para até 73% sobre o soldo, em quatro etapas: na primeira, para quem fez “curso de altos estudos”, por exemplo, subirá, a partir de julho, de 30% para até 42% sobre o valor do soldo. O aumento vale para militares da ativa e da reserva.

Assim, um general de quatro estrelas, topo hierárquico das Forças, passará a somar R$ 5.600 por mês ao soldo de R$ 13.400. Até então, o adicional era de cerca de R$ 4.000 mensais. Com outros benefícios, elevam o salário para, pelo menos, R$ 29.700.

LEIA TAMBÉM:

  • Flávio Dino entrevista o ex-presidente Lula; assista ao vídeo
  • Saque emergencial do FGTS de até R$ 1.045 começa a ser depositado nesta segunda (29)
  • Coronavírus: Ibaneis decreta estado de calamidade pública no DF
  • O governo Bolsonaro tem privilegiado economicamente os militares. Além dos aumentos salariais, cerca de 3 mil militares ocupam cargos comissionados em postos chaves de ministérios, estatais e autarquias.

    Na Reforma Previdenciária, os militares também foram poupados por Bolsonaro e Paulo Guedes, que preservaram a aposentadoria integral para a caserna.