#AoVivo: Lula puxa debate sobre crise do coronavírus, enquanto Bolsonaro está nem aí

“O que deveria ser feito?”, pergunta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como aquecimento para uma live hoje (5) à noite sobre a crise do coronavírus.

O petista vai debater às 18 horas com ex-ministros da saúde a pandemia da Covid-19. Após esse evento, às 20 horas, será a vez de o leitor/espectador acompanhar outro bate-papo no Blog do Esmael com o jornalista Altamiro Borges, o Miro, sobre a imprensa e o coronavírus.

Antes, porém, às 18h, Lula e os ex-ministros, especialistas em políticas públicas para a saúde, discutirão os desafios para o Brasil e a atuação do governo Jair Bolsonaro e de seus ministros da saúde durante a pandemia.

Participarão da live com Lula o médicos, ex-ministro e senador Humberto Costa, o médico e ex-ministro José Gomes Temporão (2007-2010), o médico, ex-ministro e deputado Federal Alexandre Padilha (2011-2014), e o médico e ex-ministro Arthur Chioro (2014-2015).

Durante os governos do PT foram criados programas de saúde como o SAMU, Farmácia Popular, Mais Médicos e 60% dos leitos atualmente existentes no SUS, que expadiram o acesso da população brasileira ao atendimento básico de saúde e remédios.

Hoje, quatro anos após o golpe e com a PEC 95, que limita os gastos na saúde, como o Brasil enfrenta o Coronavírus?

Como tem sido a atuação do governo Bolsonaro para evitar a disseminação do vírus e a morte dos brasileiros?

Essas e outras questões serão debatidas ao vivo na live de Lula.

A live do Blog do Esmael, sobre imprensa e coronavírus, será às 20 horas.

Serviço:

Live 1: Lula, às 18h, com ex-ministros da Saúde

Live 2: Miro e Esmael, às 20h, discutem imprensa e coronavírus

LEIA TAMBÉM
“Lockdown” para combater o avanço da covid-19 entra em vigor em São Luís

Gleisi desanca senadores pelo congelamento nos salários de servidores públicos; assista

OMS desmente ‘fake news’ de Trump e diz que coronavírus tem origem animal

#EuNãoMeCalo: Jornalistas protestam contra Bolsonaro nas redes

Após mais um episódio de desrespeito do presidente Bolsonaro contra os jornalistas, gritando e mandando “calar a boca”, os profissionais resolveram se manifestar nas redes sociais.

Foi criada a hashtag #EuNãoMeCalo no Twitter. Confira algumas das postagens:

Fabio Pannunzio escreveu: “39 anos de jornalismo, com muito orgulho. @jairbolsonaro, a mim você não cala. #eunaomecalo”

Rodrigo Gini escreveu: “Eu me junto aos inúmeros colegas jornalistas pelo direito à informação, ao questionamento, ao respeito. E contra qualquer tipo de desequilíbrio. Nada se ganha no grito. #EuNãoMeCalo”

A tag ainda está decolando e deve subir durante toda a tarde na medida da repercussão do ataque de Bolsonaro à imprensa.

Bolsonaro protagoniza novo show de horror na saída do Palácio da Alvorada; assista

O presidente Bolsonaro protagonizou um novo show de horror na saída do Palácio Alvorada na manhã desta terça-feira (5).

Ele estava segurando a manchete da Folha de São Paulo que diz: “Novo diretor da PF assume e acata pedido de Bolsonaro”

A manchete se refere à troca do superintendente da Polícia Federal do Rio de Janeiro. Essa foi a primeira ação do novo diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Souza após ser empossado ontem.

O jornalista Flávio Costa compartilhou o vídeo pelo Twitter e comentou: “Hoje pela manhã ⁦@jairbolsonaro⁩ chamou mais uma vez a ⁦@folha⁩ de canalha e por duas vezes mandou os jornalistas que tentavam entrevistá-lo calarem a boca.”