Sobe para 122 homicídios em quatro dias no Ceará, mesmo sob intervenção de Moro

Compartilhe agora

Mesmo sob intervenção federal na segurança pública, sumiu para 122 homicídios em apenas 4 dias de motim de policiais militares no Ceará.

O governo de Camilo Santana (PT) anunciou a demissão de 168 PMs grevistas e se negou a anistiá-los após o senador Cid Gomes (PDT-CE) ser baleado.

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública cearense, a média diária de homicídios no período é de 30,5, nos quatro dias de paralisação de parte dos policiais militares.

Neste mês de fevereiro de 2020, já foram contabilizados 286 homicídios no estado –mês que foi deflagrada a greve dos policiais.

LEIA TAMBÉM
Cid Gomes recebe alta e deixa hospital

Exército começa atuar com poder de polícia nas ruas de Fortaleza

Ceará sob comando do Exército; mais tropas são deslocadas para reforçar GLO

O mês de janeiro deste ano acumulou 261 homicídios, uma média de pouco mais de oito por dia.

Em fevereiro de 2019, a título de comparação, foram 164 homicídios, uma média de menos de seis por dia.

O ministro Sérgio Moro destacou agentes da Força Nacional e do Exército para ajudar no policiamento ostensivo nas ruas. São 2.500 homens do Exército que começaram a atuar efetivamente neste domingo (23) —os 150 agentes da Força Nacional começaram a chegar na quinta-feira (20).

Os PMs cearenses paralisaram na semana passada, ocupando batalhões e fechando o comércio, a pretexto de reivindicar aumento no soldo –o salário de militares.