Empresários bolsonaristas cogitam impulsionar vídeo com ataques ao Congresso Nacional

Compartilhe agora

Rodrigo Maia (DEM-RJ), apesar de votar com o governo, é alvo de correligionários do presidente Jair Bolsonaro.
O empresário Edgard Corona, dono da rede de academias Bio Ritmo, é um dos bolsonaristas que defende o impulsionamento nas redes sociais de um vídeo atacando o Congresso Nacional.

Um dos alvos preferenciais dos bolsominions é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tem pautado projetos e reformas de interesse da velha mídia, do mercado financeiro e da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp).

Quanto às agressões, os empresários são oriundos do movimento Brasil 200, que criticam a reforma tributária em discussão na Câmara.

LEIA TAMBÉM

Michelle Bachelet denunciou na ONU violações de direitos humanos no Brasil

O conto do vigário: “dólar a R$ 4,20 se a reforma da Previdência não passar”

‘Quem realmente pode garantir a democracia no Brasil é o povo nas ruas’, diz o PT

Dentre os membros do Brasil 200 estão os seguintes empresários:

  • Luciano Hang, da Havan
  • Sebastião Bomfim, da Centauro
  • João Appolinário, da Polishop

O presidente do grupo Brasil 200, Gabriel Rocha Kanner, disse que a reforma tributária de Maia é “muito ruim” e que “o setor produtivo tem responsabilidade e dever de se posicionar.”

Ou seja, sem entrar no mérito da reforma tributária, os ataques ao Congresso tem o objetivo de fazer lobbie para perpetuar privilégios de grupos econômicos.

Com informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha.