Lula será o principal adversário de Bolsonaro em 2022, diz pesquisa definitiva

A Paraná Pesquisas fez a sondagem definitiva deste ano e constatou que 32% acreditam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2022, será nas urnas o principal adversário político do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O resultado do levantamento alegra o PT e o Palácio do Planalto porque confirma a tese de polarização e, reflexo disso, a quase impossibilidade de o ministro Sérgio Moro concorrer ao cargo.

Depois de Lula, segundo a sondagem, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) seria o principal oponente de Bolsonaro na percepção de 15,6% do eleitorado brasileiro.

A Paraná Pesquisas foi ao cerne da questão ao perguntar “Quem será o principal adversário político do Presidente Jair Bolsonaro até as eleições de 2.022?”, e obteve as seguintes respostas:

  • Não sabe: 13,1%
  • Nenhum: 14,4%
  • Lula: 32,0%
  • Ciro Gomes: 15,6%
  • O Governador de São Paulo João Doria: 11,7%
  • O apresentador de televisão Luciano Huck: 8,3%
  • O Governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel: 3,0%
  • O Presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia: 1,9%

O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ficaram na lanterna porque disputam Bolsonaro a pauta negativa: um quer executar, matar mais pobres com tiro do que o presidente da República; o outro que retirar direitos dos trabalhadores e matar de fome os brasileiros com mais eficiência que o capitão.

Maia e Witzel são confundidos pelo bolsonarismo. São vistos pelo povo como farinha do mesmo saco de Bolsonaro, portanto o projeto “presidencial” do deputado e do governado é um retumbante fracasso.

A Paraná Pesquisas ouviu 2.222 pessoas de 26 estados e o Distrito Federal entre os dias 14 a 18 de dezembro de 2019. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos.

LEIA TAMBÉM
Caiu na rede a versão de Bolsonaro para o Hino Nacional; assista

#BolsonaroVaiCairEm2020 é o pedido nas redes sociais para o Ano Novo

Mourão termina 2019 ileso, pronto para substituir Bolsonaro

Dias Toffoli vai confirmar no STF derrota de Moro no caso juiz das garantias