Em causa própria, Moro insiste na prisão em 2ª instância para tirar Lula de 2022

Publicado em 3 dezembro, 2019
Compartilhe agora!

O ministro Sérgio Moro é candidatíssimo à Presidência da República em 2022. Tanto ele quanto o presidente Jair Bolsonaro temem uma candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Lula é o bicho papão dos lavajatistas e dos bolsonaristas. Por isso eles se uniram e têm pressa para eliminá-lo fisicamente antes do pleito presidencial vindouro.

Dito isto, o ex-juiz Sérgio Moro irá nesta quarta-feira (4) à audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para discutir a prisão em segunda instância.

Nunca é demais recordar que o Supremo Tribunal Federal (STF) já decidiu no último dia 7 de novembro pela impossibilidade do cumprimento da pena antes do trânsito em julgado.

LEIA TAMBÉM
Moro não quer a vice, ele sonha com a cadeira de Bolsonaro

Dirceu: “Um espectro ronda Bolsonaro – o povo na rua”

Olha o tamanho do pibinho do Bolsonaro: 0,6% no 3º tri e 1,2% em um ano

Portanto, em causa própria, o ministro da Justiça reanima a campanha contra os ministros do Supremo e contra a própria Constituição Federal que prevê, em cláusula pétrea, a presunção da inocência.

A prisão em 2ª instância é bandeira política do candidato a presidente da República, senhor Sérgio Moro. Esse tema mais interessa a ele do que a Bolsonaro.

Lula livre é o sonho de consumo de Jair Bolsonaro porque polariza a disputa e tira da joga os candidatos considerados “lambaris de valeta”.

Portanto, Bolsonaro erra ao não responder as caneladas de Lula e fugir dessa polarização natural entre o ex e o atual presidente. Se se omitir, o capitão vai ser engolido pela velha mídia golpista e pelo seu subordinado do Ministério da Justiça.

Compartilhe agora!