México denuncia “golpe” na Bolívia e diz que reconhece Morales como presidente “legítimo”

Publicado em 11 novembro, 2019

O governo do México afirmou nesta segunda-feira que reconhece Evo Morales como presidente “legítimo” da Bolívia, denunciando que sua renúncia se deve a um “golpe” dado pelo Exército, o que classificou como um grave retrocesso para a região.

O chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, disse que o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador não reconhecerá um governo de caráter militar na Bolívia.

LEIA TAMBÉM:
Parlamento do Mercosul aprova declaração rechaçando o golpe na Bolívia

Na Bolívia, movimentos sociais dão 48 horas para líder golpista deixar La Paz

Chile: Em crise terminal, governo Piñera anuncia ‘congresso constituinte’

“Consideramos um golpe o que ocorreu (na Bolívia) ontem (…) É um golpe porque o Exército pediu a renúncia do presidente e isso violenta a ordem constitucional do país”, afirmou Ebrard em uma coletiva de imprensa com López Obrador.

“A postura que o México definiu no dia de hoje é de reivindicar, pedir respeito à ordem constitucional e à democracia na Bolívia”, acrescentou o chanceler, que vai demandar uma reunião de emergência da Organização dos Estados Americanos (OEA), a qual acusou de permanecer em silêncio diante do “pronunciamento militar e das operações policiais”.

Ebrard disse que Morales ainda não respondeu à oferta de asilo feita pelo governo mexicano.

Na mesma entrevista, López Obrador descreveu como “lamentáveis” os recentes eventos na Bolívia.

As informações são da Reuters.