Senado convida para enterro da aposentadoria; acompanhe ao vivo

Publicado em 22 outubro, 2019
Compartilhe agora!

Daqui a pouco, a partir das 11h, o Senado vai enterrar a possibilidade de os brasileiros se aposentarem. Eles irão votar hoje a reforma da previdência em segundo turno. Acompanhe ao vivo pelo Blog do Esmael.

Antes, porém, há o velório na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Os parlamentares fazem as últimas homenagens ao defunto [direito social] por meio de emendas.
Amanhã mesmo, à tarde, a aposentadoria será enterrada sete palmos abaixo da terra –como manda o figurino—com a votação em plenário.

LEIA TAMBÉM
Os senadores que traíram o povo na reforma da previdência; confira a lista

O que pretendem os senadores ligados ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e ao ministro da Economia, Paulo Guedes? Transformar o Brasil num Chile, Argentina ou Equador, de acordo como senador Renan Calheiros (MDB-AL). Os três países quebrados pelo modelo neoliberal que privilegia os bancos e os ricos em detrimento do povo.

Dentre as diabólicas medidas da reforma da previdência estão:

– fixação de uma idade mínima (65 anos para homens e 62 anos para mulheres) para a aposentadoria;

– extinção da aposentadoria por tempo de contribuição;

– valor da aposentadoria a partir da média de todos os salários (em vez de permitir a exclusão das 20% menores contribuições);

LEIA TAMBÉM
Os senadores que traíram o povo na reforma da previdência; confira a lista

Bolsonaro lamenta o fim da aposentadoria dos brasileiros

Evo Morales proclama vitória eleitoral no primeiro turno

– elevação das alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS (hoje em R$ 5.839,00);

– regras de transição para os trabalhadores em atividade;

– cumprida a regra de idade, a aposentadoria será de 60% com o mínimo de 15 anos de contribuição; e

– aposentadoria com 100% só com 25 anos de contribuição para mulheres e 40 para homens.

Bolsonaro e Guedes querem confiscar a poupança previdenciária dos trabalhadores brasileiros para concentrar esse dinheiro, quase um trilhão de reais, nas mãos de meia dúzia de bancos privados.

A reforma foi aprovada em primeiro turno no início de outubro, com 56 votos favoráveis e 19 contrários — são necessários pelo menos 49 votos para a aprovação de uma PEC. Hoje a votação é de segundo turno. A tendência é que o placar continue desfavorável ao povo, ou seja, o enterro está confirmado para logo mais. Acompanhe ao vivo aqui pelo Blog do Esmael.

Com informações da Agência Senado.

Compartilhe agora!