Bolsonaro diz que vídeo das hienas foi erro e promete retratação

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que errou e pediu desculpas nesta terça (29) pelo vídeo em que ele como um leão cercado de hienas.

“Me desculpo publicamente ao STF, a quem por ventura ficou ofendido. Foi uma injustiça, sim, corrigimos e vamos publicar uma matéria que leva para esse lado das desculpas. Erramos e haverá retratação”, disse Bolsonaro em entrevista ao Estadão durante viagem à Arábia Saudita.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaristas seguem atacando o STF com #HienasDeToga

Centrais sindicais farão ato no dia 30 por soberania, direitos e empregos

Bolsonaro é assombrado pelo espectro de Adélio Bispo, diz Intercept

No vídeo publicado ontem (28) em seu Twitter, Bolsonaro é um leão e seus “adversários” são hienas. Entre as hienas estão o STF, PT, PCdoB, PSOL, PDT, PSDB, PSL, OAB, CUT, MST, MBL, insentões, feministas, Globo, Folha, Estadão, ONU, Greenpeace. Após várias críticas, o vídeo foi apagado da conta do presidente.

O vídeo provocou reação no STF. O ministro Celso de Mello disse que a postagem evidencia que “o atrevimento presidencial parece não encontrar limites”.

Segundo Bolsonaro, ninguém percebeu alguns símbolos que apareciam “por frações de segundos” no vídeo. “Depois, percebemos que estávamos sendo injustos, retiramos e falei que o foco são as nossas viagens”, disse ao jornal.

Na entrevista, o presidente não respondeu se o vereador Carlos Bolsonaro (PSC), seu filho, foi o responsável pela publicação do vídeo. Carlos já admitiu em outra ocasião que posta no Twitter do pai.