Por Esmael Morais

Reforma da previdência terá votação de segundo turno na terça-feira

Publicado em 02/08/2019

A Câmara dos Deputados anunciou para a próxima terça-feira, dia 6, a votação de segundo turno da diabólica reforma da previdência –o fim da aposentadoria e a redução de pensão para viúvos, deficientes e órfãos.

A sacanagem contra os mais pobres será comandada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se vangloria de liquidar com o direito à aposentadoria de milhões de brasileiros “sem a participação do presidente Jair Bolsonaro (PSL)”. Meia verdade.

Maia e Bolsonaro atuam em conluio com os bancos e a velha mídia –Globo, Folha, Estadão, Veja et caterva— para ferrar os trabalhadores. Eles fingem distensão, mas ‘nadam’ e mentem sincronizados. Ou seja, enquanto o presidente da República distrai o distinto público com suas sandices, o da Câmara e outros espertalhões vendem o País e escravizam o povo.

Note o caríssimo leitor que esses senhores que votarão a reforma da previdência não precisam ou não precisarão se aposentar porque possuem bens e outras fontes de renda. Já o trabalhador, coitado, só tem a força de trabalho que a certa altura da vida se esgota e sua empregabilidade acaba. É disto que estamos tratando aqui.

LEIA TAMBÉM
Deltan dançou!

Caso Santa Cruz: Comissão Arns quer informações de Bolsonaro

Globo enfrenta furdunço de jornalistas devido apoio a Sérgio Moro

O texto aumenta o tempo para se aposentar, limita o benefício à média de todos os salários, eleva as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS e estabelece regras de transição para os atuais assalariados.

Da mesma forma que o primeiro turno, a proposta precisa do voto de um mínimo de 308 deputados para ser aprovada e então enviada ao Senado, onde também passará por dois turnos de votação.

Com informações da Agência Câmara