Moro já fez palestra até em um castelo de Curitiba

Compartilhe agora!
Fotos: divulgação.

O ministro Sérgio Moro já foi palestrante até mesmo em um badalado castelo de Curitiba, o Castelinho do Batel, local de eventos corporativos, formaturas e casamentos.

No dia 9 de março de 2016, o então juiz da 13ª Vara Federal do Paraná palestrou para empresários a convite da LIDE (Grupo de Líderes Empresariais) –um agrupamento de lobby que era presidido pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Na época, uma fonte do Blog do Esmael que trabalhou no evento revelou que uma palestra de Moro saía por muito mais que os R$ 10 mil ou R$ 15 mil apurados pela Folha e o Intercept neste domingo (4). A Resolução nº 226/2016 do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) considera atividades externas dos magistrados como “docência”, portanto, não sujeitas à declaração da remuneração.

LEIA TAMBÉM
Moro diz que palestras são “bem pagas” em novo vazamento do Intercept

TCU dá 15 dias para Receita informar nomes de servidores que fiscalizaram autoridades

Novo ataque a tiros nos EUA deixa 10 mortos e 16 feridos

Antes, porém, no dia 24 de junho de 2015, Joaquim Barbosa, recém-saído do Supremo Tribunal Federal (STF), ainda surfando na onda no mensalão, também palestrou pela LIDE sobre o tema “O poder e a ética no Brasil” no castelo de Curitiba.

O prédio é uma construção de 1928 inspirado nos castelos franceses da região do vale do Loire, na França. Nos tempos de glória dos barões da Erva Mate, o endereço chique da capital paranaense, recebeu quatro presidentes da República (Juscelino Kubitschek, Eurico Gaspar Dutra, Jânio Quadros e João Goulart), os príncipes do Japão e da Holanda, Oshio e Bernard, respectivamente.

Na década de 50, o Castelinho do Batel também foi residência de governador e por trinta anos, entre 1973 e 2003, agasalhou a TV Paranaense (atual RPC) –afiliada da Rede Globo no Paraná.

Compartilhe agora!