Moro e Dallagnol se deram mal com o STF; provas serão mantidas, decide Fux

Publicado em 1 agosto, 2019
Compartilhe agora!

O ministro da Justiça Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, pode-se dizer, se deram mal com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de não destruir provas obtidas com a prisão de 4 supostos hackers.

Coube ao PDT a iniciativa de pedir ao STF a preservação de provas em poder da Polícia Federal podem corroborar com os diálogos divulgados pelo site Intercept e outros veículos de imprensa.

A determinação para garantir a integralidade dos arquivos foi do ministro Luiz Fux, também citado nas mensagens do Telegram e nas reportagens da #VazaJato.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro tem 15 dias para explicar ao STF fala sobre pai de presidente da OAB

ABJD lança campanha #MoroMente para explicar os crimes cometidos pelo ex-juiz na Lava Jato

É inconcebível procurador investigar ministro do STF, diz Marco Aurélio

Fux endereçou a ordem para o ministro da Justiça, Sérgio Moro, à Polícia Federal, e ao próprio pleno do STF.

Na semana passada, o presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça) José Otávio de Noronha disse que Moro prometeu destruir as provas apreendidas junto com os supostos hackers de Araraquara (SP).

O ex-juiz da Lava Jato também semeou pânico geral em Brasília ao avisar autoridades sobre suposta invasão em seus celulares. O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), por exemplo, ironizou ao afirmar que suas mensagens eram só para o iFoof — aplicativo de pedir comida.

Compartilhe agora!