Fachin expõe as vísceras da Lava Jato no plenário do Supremo

Publicado em 28 agosto, 2019
Compartilhe agora!

O plenário do Supremo Tribunal Federal irá dissecar o cadáver da Lava Jato, em data ainda não definida, a pedido do ministro Edson Fachin.

O relator da Lava Jato no STF acredita que ainda há batimentos e, por isso, expõe as vísceras da força-tarefa num momento que o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol estão sob máxima suspeição.

Fachin, que tomou para a si as dores do revés de ontem (27) na Segunda Turma, quer que o plenário do Supremo confirme [ou não] a anulação da sentença de Moro, no caso do ex-presidente da Petrobras Ademir Bendine.

LEIA TAMBÉM
Urgente: Macri ‘quebra’ a Argentina e declara moratória da dívida externa

Fachin recua no processo sobre o Instituto Lula, depois de derrota no STF

Lula pede anulação de sentença de Moro com base em decisão do STF

Moro condenou Bendine sem oportunizar o pleno exercício da ampla defesa e do contrário, haja vista o ex-juiz ter dado a sentença sem que o réu tivesse conhecimento do que fora acusado pelos seus delatores.

A derrapada na Lava Jato parece ser regra porque, nesta quarta (28), mais um processo foi devolvido por Fachin para que o réu fosse ouvido –no caso do terreno não comprado pelo Instituto Lula, que envolve o ex-presidente Lula.

Moral da história: Fachin, Moro e Dallagnol não são muito íntimos da Constituição Federal do Brasil.

Compartilhe agora!