Urgente: Macri ‘quebra’ a Argentina e declara moratória da dívida externa

Publicado em 28 agosto, 2019


O governo neoliberal de Maurício Macri, aliado de Bolsonaro, quebrou a economia da Argentina e anunciou nesta quarta-feira (28) que pediu ao Fundo Monetário Internacional (FMI) a revisão dos vencimentos de sua dívida de US$ 56 bilhões, que começam em 2021. O ministério da Fazenda da Argentina declarou que a medida tem como objetivo aliviar a atual turbulência no mercado cambial argentino.

As negociações devem começar na gestão do atual presidente, Mauricio Macri, mas teriam que ser concluídas no próximo governo -que começa em 10 de dezembro. O primeiro turno das eleições argentinas ocorre em 27 de outubro.

.

Ex-ministros do Meio Ambiente pedem moratória de projetos na Amazônia

Esquerda vence eleição primária na Argentina

O país passa por uma situação financeira complicada. Uma delegação do FMI visitou a Argentina nesta semana e se reuniu com autoridades do governo e também com o candidato da Oposição peronista Alberto Fernández e seus assessores. A moratória é um dispositivo legal que prevê a suspensão dos pagamentos devidos a credores internacionais, como bancos, quando um país se encontra em circunstâncias excepcionais, como guerra, grande calamidade ou grave crise econômica.

.

Os ajustes neoliberais do governo Macri, com cortes sociais, arrocho salarial e privatizações selvagens, quebraram a Argentina.