Câmara terá novo depoimento de Moro sobre vazamentos do Intercept

Compartilhe agora!

Atualização às 16h38. O ministro da Justiça, Sérgio Moro, irá depor na Câmara dos Deputados na próxima terça-feira (25) em sessões conjuntas das comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público e de Direitos Humanos e Minorias.

A ida do ministro foi proposta pelos deputados Marcio Jerry (PCdoB-MA) e Rogério Correia (PT-MG), vice-líderes dos respectivos partidos.

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara (CCJ) também deverá ouvir novamente o ministro Sérgio Moro, na quarta-feira (26), sobre os vazamentos de conversas dele e de procuradores do Ministério Público Federal pelo site The Intercept.

Os deputados da CCJ da Câmara também querem detalhes sobre possíveis ilegalidades cometidas pelo ex-juiz e por procuradores que integram a força-tarefa Lava Jato.

Além do convite na CCJ, a Comissão de Fiscalização da Câmara igualmente tem interesse em ouvir o ministro. O requerimento para convocar Moro é do deputado Jorge Solla (PT-BA). Ele justificou que Moro teve “comportamento sem o menor vestígio de imparcialidade” nas conversas com a força-tarefa da Lava Jato.

A informação de que o ex-juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba mentiu para os senadores vai movimentar a Câmara –uma casa mais hostil ao ministro do que o Senado.

LEIA TAMBÉM
Globo censura manifesto pela liberdade de Lula que cita a Lava Jato

Por outro lado, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado definirá na semana quem a data do depoimento do procurador Deltan Dallagnol ao colegiado. O requerimento do senador Ângelo Coronel (PSD-BA) foi aprovado na terça (18).

Acerca das reportagens do Intercept

O combate à corrupção era feito com métodos corruptos, fora da lei, segundo revelou o site The Intercept ao Brasil e ao mundo.

1- juiz e acusação afastaram e escalaram procuradores para o caso Lula;

2- eles combinaram estratégia comum [julgador e MPF] para agravar a situação de acusado;

3- eles vazaram seletivamente para a velha mídia com a finalidade de prejudicar uma das partes;

4- eles protegeram político do PSDB que não queriam melindrar e, portanto, proteger de seus rigores midiáticos; e

5- aliás, eles faziam o plano de mídia conjuntamente contra adversários políticos e adversários.

Compartilhe agora!