Supremo enquadra e esvazia a Lava Jato

Publicado em 14 março, 2019

A Lava Jato da “República de Curitiba” foi enquadrada e sofreu uma derrota estratégica nesta quinta-feira (14). O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que crimes de caixa 2, mesmo quando o caso incluir outros crimes como corrupção e lavagem de dinheiro, devem ser julgados pela Justiça Eleitoral.

Isso esvazia a força tarefa, pois a maioria dos casos investigados por Deltan Dallangnol e pelos seguidores de Sérgio Moro incluem questões eleitorais, e devem sair da competência da Justiça Federal comum indo para a Eleitoral.

.

LEIA TAMBÉM: Toffoli abre inquérito para investigar fake news e ameaças ao STF

A decisão foi por seis votos a cinco. Votaram para enviar os processos para a Justiça Eleitoral os ministros Marco Aurélio de Mello (relator), Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e o presidente Dias Toffoli,

Votaram pela divisão dos processos os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Cármen Lúcia.

.

O julgamento foi desempatado pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, o último a votar no caso.

Dias Toffoli afirmou que sua posição sempre foi a mesma, de manter a jurisprudência do STF, por isso, acompanhou o relator.

“Todos aqui estamos unidos no combate a corrupção. Tanto que são raros os casos de reversão de algum processo, de alguma condenação, de alguma decisão. Todos também estamos aqui na defesa da Justiça Eleitoral”, afirmou Toffoli.

.

Com informações do G1.