No desespero, governo vai telefonar para médicos que podem substituir os cubanos