Médicos cubanos são homenageados na despedida

Publicado em 28 novembro, 2018
Compartilhe agora!

Médicos e médicas cubanos do programa Mais Médicos foram homenageados na hora da despedida nesta segunda-feira (26).

LEIA MAIS: Mais Médicos: Apenas 224 se apresentaram para ocupar lugar dos cubanos

Movimentos sociais fizeram um ato de agradecimento aos profissionais que estão deixando o estado do Rio de Janeiro, que vive uma severa crise na atenção primária, com corte de verbas, redução de equipes e ameaças de demissão.

Durante a despedida, foi lido um manifesto assinado pela Associação Cultural José Martí do Rio de Janeiro (ACJM-RJ), Levante Popular da Juventude, Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares, Sindicato dos Trabalhadores da Fiocruz (Asfoc SN), Centro Brasileiro de Estudos em Saúde (Cebes), Comitê Carioca de Solidariedade a Cuba e Comitê Internacional Paz Justiça e Dignidade aos Povos – Capítulo Brasil.

Leia abaixo o manifesto:

“Queridas médicas e queridos médicos de Cuba

É com grande admiração e respeito que viemos aqui prestar esta homenagem a vocês. Agradecemos, em nome do povo do Rio de Janeiro pelo trabalho e dedicação neste período em que vocês estiveram aqui, cuidando das pessoas como se fossem sua própria família. Distantes de seus pais e filhos, compartilharam das durezas que o cotidiano das desigualdades do Brasil pode gerar e ofereceram carinho, cuidado e amor ao povo que mais sofre. Não tenham dúvidas que as pessoas que vocês cuidaram e cativaram reconhecem toda a dedicação de vocês, por mais que as elites tentem negar isso. Como diria Dom Quixote: ‘se os cães ladram, é sinal que avançamos’. E como essa burguesia ladrou. Definitivamente, vocês deixaram uma marca na vida de cada brasileiro e brasileira que conheceram vocês e entraram para a história pelo maior ato de solidariedade que o nosso povo já recebeu.

Gostaríamos que o contexto da despedida fosse outro, que a nossa conjuntura política fosse outra…..mas estas são as asperezas da luta de classes, na qual temos muito a aprender com vocês. Ernesto Che Guevara disse que para escutar o clamor de um povo não é preciso estetoscópio, basta ter coração. Sintam, pois, no coração de cada um de vocês, a mais profunda gratidão por tudo o que fizeram pelo povo brasileiro. Com a certeza de que o futuro nos pertence, esperamos poder reencontrá-los, no dia que a nossa vitória chegar!

Hasta la vistoria siempre ! “

Assista trecho da leitura:

Os médicos cubanos também receberam uma placa da Comissão da Coordenação Estadual do Programa Mais Médicos para o Brasil e do governo do Rio de Janeiro, em agradecimento ao trabalho.

O embarque dos profissionais que trabalharam no estado de São Paulo começaram no último sábado e continuaram nesta segunda-feira (26). Mais de 1400 médicos e médicas trabalharam pelo programa no estado.

À noite, movimentos sociais, organizações de solidariedade e lideranças políticas marcaram presença em ato de despedida no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

O criador do Mais Médicos, ex-ministro da saúde no governo Dilma, deputado e médico Alexandre Padilha escreveu em sua página no Facebook: “Obrigado, Cuba. ‬A mão que cuidou de tantas brasileiras e brasileiros é agora a mão que se despede. ‬ Quem sabe, um dia, espero eu, que seja também a mão do reencontro”.

Pelo menos 285 cidades e 36 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dseis) ficaram sem médicos em equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF), com a saída de profissionais cubanos.

O levantamento foi realizado pelo Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Fonte: Associação Cultural José Marti/SC e Portal Vermelho.

Compartilhe agora!