Por Esmael Morais

Requião: “Saída Brasileira é a saída para o Paraná”

Publicado em 08/06/2018

O senador Roberto Requião (MDB-PR), em artigo especial, propõe uma receita “simples” para retomar o desenvolvimento e o emprego no Paraná e no Brasil.

“Aumentar o investimento público com isso aumentando o emprego, o consumo e, por consequência, o próprio investimento. A receita pública também aumenta, o que justifica gastar mais do que arrecada, sem inflação, como ponto de partida do programa”, escreve.

Requião também prega varrer do poder, pelo voto, as oligarquias incompetentes que tomaram o poder.

Leia a íntegra do artigo:

Saída Brasileira é a saída para o Paraná

por Roberto Requião*

“Quem quer ser universal comece por pintar a sua aldeia”. Tolstoi.

Nosso Brasil e nosso Paraná estão sob o mesmo desafio: num dos momentos econômico e políticos mais críticos de nossa história, ambos estão sob o comando de administrações ineptas e corruptas, que nos levam a uma situação de tremendo sofrimento humano por causa sobretudo do alto desemprego que nos aflige. A oportunidade de reverter essa situação devastadora são as eleições de outubro. Não temos alternativa senão varrer do poder as oligarquias que se apoderaram dele, colocando em seu lugar gente honrada e competente.

Sabemos como reverter o desemprego. Aliás, sabemos disso pela história desde os anos 30, quando o mundo inteiro, e sobretudo os Estados Unidos e a Alemanha, sofreram a maior crise econômica e humana desde os primórdios do capitalismo. A receia é simples: aumentar o investimento público com isso aumentando o emprego, o consumo e, por consequência, o próprio investimento. A receita pública também aumenta, o que justifica gastar mais do que arrecada, sem inflação, como ponto de partida do programa.

É importante insistir nesse ponto porque os neoliberais alegam que Estado é igual a uma dona de casa responsável, que não gasta mais do que arrecada. Isso é falso. Donas de casa responsáveis podem perfeitamente comprar a crédito, e o fazem, sabendo que terão receita futura para pagar o crédito. Já o Estado pode gastar mais do que arrecada porque seus investimentos geram receitas públicas que cobrem os gastos adicionais, ou seja, o déficit. Por outro lado, ao expandir o investimento a crédito, o Estado gera emprego e consumo, arrancando o país da crise.

Portanto, com investimentos responsáveis, tanto o Paraná quanto o Brasil poderão acabar rapidamente com o sofrimento do desemprego, ou a ameaça dele, que atinge milhões de cidadãos. Você pode perguntar por que isso não é feito, se é tão fácil: simplesmente porque os banqueiros e o grande capital querem exclusivamente para si os recursos mobilizados pelo Estado. Vejam: no ano passado o Brasil teve um déficit de 159 bilhões de reais. Tudo foi destinado a banqueiros, financistas e os vigaristas que os cercam. Nenhum tostão foi destinado a financiamento de serviços e bens públicos, ou seja, para gerar empregos no Paraná ou no Brasil. Governos como esses só tem um destino: serem derrubados.

*Roberto Requião é senador da República no segundo mandato. Foi governador do Paraná por três mandatos, prefeito de Curitiba, secretário de estado, deputado, oficial do exército brasileiro, industrial, agricultor, professor universitário e advogado. É graduado em direito e jornalismo com pós graduação em urbanismo e comunicação.

Ouça o áudio sobre o tema: