Lula segue imbatível, segundo pesquisa de especuladores

Luiz Inácio Lula da Silva segue imbatível nas urnas, constata nesta sexta (15) pesquisa da XP Investimentos — uma das agências de especulação financeira que controla o site Infomoney.

De acordo com levantamento divulgado hoje, Lula lidera com 29% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, com 19%. Em outro pelotão, aparecem tecnicamente empatados Marina Silva (10%), Geraldo Alckmin (7%), Ciro Gomes (6%) e Álvaro Dias (6%). Henrique Meirelles tem 2%, enquanto Manuela D’Ávila e João Amoêdo (Novo) têm 1% cada. Os “não voto” somam 18%.

Os especuladores — que gostam de ser chamados de “mercado financeiro” — monitoram o quadro eleitoral diariamente.

Na verdade, a XP Investimentos somente confirmou a expectativa de vitória do petista na eleição de outubro já identificada pelo Datafolha no último domingo (10).

Lula cumpre pena antecipada de 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no “caso tríplex”, embora nenhuma prova tenha sido apresentada contra ele.

Até a torcida presente no mundial da Rússia sabe que o petista é mantido preso político na Polícia Federal de Curitiba, há 70 dias, para ficar de fora da eleição presidencial de outubro.

Método do levantamento por telefone

A pesquisa XP/Ipespe foi feita por telefone, entre os dias 11 e 13 de junho, e ouviu 1.000 entrevistados em todas as regiões do país. Os questionários foram aplicados “ao vivo” por entrevistadores (com aleatoriedade na leitura dos nomes dos candidatos nas perguntas estimuladas) e submetidos a fiscalização posterior em 20% dos casos para verificação das respostas. A amostra representa a totalidade dos eleitores brasileiros com acesso à rede telefônica fixa (na residência ou trabalho) e a telefone celular, sob critérios de estratificação por sexo, idade, nível de escolaridade, renda familiar etc.

O intervalo de confiança é de 95,45%, o que significa que, se o questionário fosse aplicado mais de uma vez no mesmo período e sob mesmas condições, esta seria a chance de o resultado se repetir dentro da margem de erro máxima, estabelecida em 3,2 pontos percentuais. O levantamento está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pelo código BR-07273/2018 e teve custo de R$ 30.000,00.

Comentários encerrados.