Por Esmael Morais

Protesto contra corrupção no governo Richa termina em agressão no Paraná; assista

Publicado em 01/09/2017

Os brutamontes atendiam ao chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB), do presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano e do secretário de Obras e Infraestrura, Pepe Richa (PSDB), todos eles delatados pelo dono da Construtora Valor, Eduardo Lopes de Souza, que os entregou no esquema de desvio de dinheiro destinado à construção de escolas.

A agressão ocorreu durante um comício hoje à noite organizado pelo prefeito Cláudio Eberhard (PSDB), oficialmente, para a assinaturas de convênios e repasses de recursos.

Os professores acompanhavam o evento e decidiram levantar uma faixa cobrando o término das obras do colégio Arcângelo Nandi, que fica no município de Santa Terezinha. A instituição de ensino é uma das obras investigadas pela Operação Quadro Negro. Sua inauguração deveria ter acontecido em 2014, mas até hoje a construção permanece no alicerce.

Truculentos, os seguranças expulsaram os educadores do espaço à força e tentaram retirar os aparelhos celulares usados para registrar a ação violenta dos protetores do primeiro escalão do governo Beto Richa. Envolvido por seguranças, Valdir Rossoni foi ao microfone para atacar os professores paranaenses e desqualificar os veículos de imprensa.

O Blog do Esmael registrou em primeira mão, há dois anos, o escândalo e a consequente queda da cúpula da Educação do Paraná na época.

O município de Santa Terezinha do Itaipu tem 23 mil habitantes e fica a 627 km de Curitiba, no extremo-Oeste do Paraná.

LEIA TAMBÉM:

Professores protestam em frente casa de Beto Richa; educadores exigem renúncia do tucano

A casa caiu para o tucano Beto Richa; vazou a delação da Operação Quadro Negro