Servidores da UEM suspendem greve; demais universidades continuam

universidades.jpgApós a liminar que determinou o retorno ao trabalho dos professores e servidores das universidades estaduais na sexta (6), a greve do ensino superior no Paraná sofreu sua primeira baixa. Os professores e servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) decidiram retornar ao trabalho nesta terça-feira (9) pela manhã.

Os sindicatos das demais universidades estão avaliando os estragos que a liminar pode causar e devem realizar assembleias nos próximos dias, tentando dar sobrevida ao movimento.

Uma imagem produzida pelo comando de greve dos docentes da Unicentro sintetiza os avanços da greve do ensino superior até aqui; e, por “avanços” leia-se barrar o desmonte pretendido pelo governador Beto Richa (PSDB):

10012988_874669672589961_6591364058760629641_nFora as universidades, prossegue ainda a greve dos servidores do Detran, que além do protesto contra o calote no terço de férias, em promoções e progressões, reivindica criação de uma carreira própria, como prevê a legislação federal.

Richa também pode tentar por fim à  greve do Detran por via judicial, que até porque o momento está lhe sendo bastante favorável. Há quem diga que seja a custa de auxílio-moradia!, entre outras benesses.

Mesmo com o fim da greve da educação básica e a saída da UEM do movimento, o balanço geral é positivo no sentido de que os servidores mostraram uma força que pareciam não ter mais; eles prometem ficar vigilantes, mantendo o estado de greve em suas categorias até que o Richa desista de vez do desmonte que tentou promover no Paraná.

Comentários encerrados.