Globo Esporte interrompe programação para convocar protesto anti-Dilma. Pode isso, Berzoini?

Se essa convocação de manifestação pró-golpe estivesse ocorrendo em qualquer país com democracia consolidada, a exemplo dos EUA e Inglaterra, a Globo já teria perdido a concessão pública em nome da segurança nacional e das instituições democráticas.

Se essa convocação de manifestação pró-golpe estivesse ocorrendo em qualquer país com democracia consolidada, a exemplo dos EUA e Inglaterra, a Globo já teria perdido a concessão pública em nome da segurança nacional e das instituições democráticas.

A TV Globo é uma concessão pública, certo? Corretíssimo. Quando o poder público delega a exploração de serviços à  iniciativa privado, o concessionado tem que observar os princípios constitucionais. A televisão dos Marinho descumpre a Carta Magna ou aderir abertamente ao golpe.

A emissora está em campanha aberta pela mobilização do impeachment da presidenta Dilma Rousseff e contra o PT. Certo? Também é fato. Desde as primeiras horas deste domingo 15 a TV Globo convoca ao vivo os manifestantes a saírem nas ruas.

A emissora interrompeu várias vezes o Globo Esporte para boletins ao vivo de vários pontos do país. Assim também procede o canal de notícias GlobNews, na TV a cabo, com direito de grito de ordem “Fora PT, Fora PT, Fora PT”.

Se isso estivesse ocorrendo em qualquer país com democracia consolidada, a exemplo dos EUA e Inglaterra, a Globo já teria perdido a concessão pública em nome da segurança nacional e das instituições democráticas.

O que tem a dizer sobre isso o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini? Nada?

Daqui a pouco a partir das 14 horas, o Blog do Esmael, em parceria com a TV 15, transmite ao vivo a manifestação de Curitiba. O evento da capital paranaense tem o apoio oculto! do governador Beto Richa (PSDB).

Comentários encerrados.