15 de dezembro de 2017
por esmael
13 Comentários

Líder nas pesquisas, Lula reafirma referendo revogatório e regulação da mídia

O ex-presidente Lula reafirmou nesta sexta-feira (15), em Piracicaba (SP), durante evento contra retrocessos na educação, que realizará referendo revogatório — para leis de Michel Temer que prejudicaram os trabalhadores — e a regulação da mídia, sobretudo na questão da propriedade cruzada dos meios de comunicação.

22 de novembro de 2017
por esmael
57 Comentários

“Lula vai regular a mídia e revogar as medidas de Temer”, informa Requião

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) foi chamado às pressas a São Paulo, nesta terça (21), onde se encontrou com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dentre os assuntos debatidos, segundo o peemedebista, foram o referendo revogatório e a regulação da mídia.

18 de agosto de 2015
por esmael
20 Comentários

Velha mídia que jogou contra os professores é a mesma que agora joga contra Dilma; compare as imagens

Não é novidade que a tradicional velha mídia tem lado e é contra o governo da presidenta Dilma Rousseff, assim como foi contra os governos do Luiz Inácio Lula da Silva, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT).

Uma comparação entre duas capas recentes do jornal Gazeta do Povo, de Curitiba, mostra que o diário também tem dificuldades para trabalhar com a verdade factual.

A comparação compartilhada no Facebook por Augusto Ferreira mostra a capa da “Velha Senhora” no dia 26 de fevereiro, com uma foto da passeata dos professores e servidores do Paraná em greve, ocorrida no dia anterior (25), como tendo 10 mil participantes. Na matéria, o jornal credita os números à Polícia Militar, mas é evidente, pela foto, que havia muito mais gente.

É bom recordar que o jornal curitibano registrou em vários editoriais ser contra as reivindicações dos professores e servidores públicos em greve (clique aqui para relembrar).

Já a capa desta segunda-feira (17) mostra uma foto semelhante, só que da passeata contra a presidente Dilma Rousseff e o PT. Semelhante pelo enfoque, do alto, porque havia menos gente — é evidente. Mas o número divulgado pela Gazeta foi de 60 mil pessoas. Onde elas estavam?

Será que a Gazeta do Povo, cujo cacoete é o mesmo da velha mídia nacional, queria diminuir o movimento dos professores e aumentar a manifestação contra o PT? Esta é uma pergunta que fica para os leitores responderem.

Os motivos para cada qual ser favor ou contra o governo não faria a menor diferença se o que se dissemina não ocorresse por ‘meios de comunicação’ concessionados, isto é, propriedade de todos nós brasileiros. É o caso das emissoras de rádio e TV, que, Brasil afora, são propriedade do mesmo grupo que monopoliza internet, jornal impresso, etc. Funciona assim: o que um veículo escreve é reverberado pelo outro e vice-versa, até uma mentira vire verdade pela técnica da exaustiva repetição.

Acerca dessa guerra de números nos protestos de domingo, Murilo Hidalgo, presidente da Paraná Pesquisas, afirmou que os veículos de comunicação “chutam” os números sem compromisso algum com a realidade.

Para ele, as divergências entre órgãos de imprensa acerca do número de manifestantes são tão ridículas que ultrapassam o limite do absurdo.

“Não existe uma metodologia para contagem de gente. Trata-se de chute. A única corporação que tem condições de aferir com mais exatidão é a Polícia Militar”, disse o experiente Hidalgo. Entretanto, ressalva o pesquisador: esses comandos são políticos e ligados ao governante de plantão.

14 de Abril de 2015
por esmael
6 Comentários

Jornalista argentino debate amanhã regulação da mídia em Curitiba

mediosO jornalista argentino Ricardo Sonny Martinez participa de um debate nesta quarta-feira (15), em Curitiba, sobre a regulação da mídia e a experiência com a Lei de Meios do seu país. O evento será às 19 horas nas sede da APP-Sindicato.

A mesa do debate será condenada pelo Advogado Claudio Ribeiro, e contará com a participação de Diângela e Anupama Salamon da Frentex, e Andre Vieira do ParanáBlogs.

Ricardo Sonny Martinez mora em Bariloche, tem 30 anos de jornalismo de rádio, sendo atualmente radialista da Rádio Nacional San Martin de los Andes (LRA 53), aonde trata, entre outras coisas, de política latino-americana.

15 de Março de 2015
por esmael
29 Comentários

Globo Esporte interrompe programação para convocar protesto anti-Dilma. Pode isso, Berzoini?

Se essa convocação de manifestação pró-golpe estivesse ocorrendo em qualquer país com democracia consolidada, a exemplo dos EUA e Inglaterra, a Globo já teria perdido a concessão pública em nome da segurança nacional e das instituições democráticas.

Se essa convocação de manifestação pró-golpe estivesse ocorrendo em qualquer país com democracia consolidada, a exemplo dos EUA e Inglaterra, a Globo já teria perdido a concessão pública em nome da segurança nacional e das instituições democráticas.

A TV Globo é uma concessão pública, certo? Corretíssimo. Quando o poder público delega a exploração de serviços à  iniciativa privado, o concessionado tem que observar os princípios constitucionais. A televisão dos Marinho descumpre a Carta Magna ou aderir abertamente ao golpe. Leia mais

6 de Março de 2015
por esmael
25 Comentários

PSDB do Paraná usa TV estatal para atacar PT e Dilma. Acorda Berzoini!

eparana_antipt_dilma.jpgO governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, tem utilizado a concessão pública da TV Educativa, rebatizada como éParaná, para fazer proselitismo contra petistas e atacar a presidenta Dilma Rousseff (PT).

A emissora estatal tem destacado nos telejornais o suposto envolvimento da senadora Gleisi Hoffmann (PT) na lista da operação Lava Jato — que investiga desvios de recursos da Petrobras — e o sumiço do marido dela, o ex-ministro das Comunicações Paulo Bernardo.

éParaná também vem reservando espaço para ataques contra Dilma como, por exemplo, na última quarta (4) quando exibiu um protesto pelo “Fora Dilma” no município de União da Vitória, na região Sul.

Poder-se-ia dizer que a cobertura era factual, mas a emissora estatal não faz o mesmo em relação à s manifestações que pedem impeachment de Richa. Pelo contrário. A TV concessionada para o governo do estado é bastante usada, sem dó nem piedade, para atacar a greve dos professores e funcionários de escolas — só para ficar num exemplo.

A éParaná vem sendo tocada desde janeiro deste ano pelo jornalista Sérgio Kobayashi, um tucano importado de São Paulo conhecido pelo fanatismo antipetista.

Essa não foi a primeira vez que a éParaná sacaneia Dilma. Em outubro de 2011, Richa mandou censurar o discurso da presidenta que era transmitido ao vivo pela TV estatal. Na cerimônia, o governo federal anunciava R$ 1,75 bilhão para a construção do metrô na capital paranaense. No lugar da fala da petista a emissora exibiu o desenho animado Cocoricó! (clique aqui para relembrar).

O diabo nisso tudo é que o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, continua dormindo. Em dezembro de 2014, quando fora anunciado para substituir Bernardo, o moço mostrava-se “valente” para regular a mídia e seus excessos. Parece até que já “afrouxou a tanga”.

Como diria a Ana Maria Braga, “acoooorda, menino!”.

A seguir, assista aos vídeos da éParaná com ataques contra Dilma e o PT:

5 de Março de 2015
por esmael
12 Comentários

Lei Requião!: Cunha se compromete a votar na Câmara projeto que garante direito de resposta na imprensa

cunha_requiao.jpgO presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), nesta quinta-feira (5), telefonou para o senador Roberto Requião (PMDB-PR) para informá-lo que colocará em votação, em breve, o projeto que garante direito de resposta automático! na imprensa brasileira.

A “Lei Requião”, aprovada em setembro de 2013 no Senado, garante a todos os brasileiros o direito de responder, nos meios de comunicação, com o mesmo destaque da notícia original, quando vítimas de notícias não verdadeiras, distorcidas ou ofensivas.

Pela manhã, Cunha telefonou para cumprimentar o correligionário paranaense que hoje completa 74 anos. Requião teria pedido de “presente de aniversário” a votação de seu projeto de direito de resposta, que repousa na Câmara há quase dois anos.

Na época da aprovação do projeto no Senado, Requião argumentou que desde abril de 2009, quando, em boa hora, o Supremo Tribunal Federal extinguiu a chamada “Lei de Imprensa”, uma das últimas “heranças” da ditadura militar (1964-1985), o país não contava com uma legislação que disciplinasse o assunto!. Ele afirmara que seu projeto preenche este vazio.

Leia a íntegra do projeto aprovado pelo Senado, que agora vai ao plenário da Câmara:

2 de Janeiro de 2015
por esmael
12 Comentários

Berzoini mantém promessa de democratizar a mídia

Por Tereza Cruvinel, via Brasil 247
berzoini.jpgSem fazer uso uma só vez da expressão anatemizada regulação da mídia!, o novo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, tomou posse hoje no cargo reiterando a disposição de abrir um amplo debate com a sociedade brasileira sobre os melhores caminhos para tornar mais efetiva e mais democrática a atividade de comunicação no Brasil.

A liberdade de expressão deve ser um valor assimilado por cada cidadão, e sob esta premissa podemos avançar na consolidação da democracia,. que não deve reduzir-se ao direito de votar. A democracia deve assegurar também, entre outros direitos, o de consumir e difundir informação e, principalmente, o de participar livremente da construção de um conjunto de ideias e valores pelo nosso próprio povo!.

Em entrevista coletiva a seguir, ele evitou fixar cronograma para o início desta ou de qualquer outra ação do ministério mas, respondendo à  pergunta desta colunista do 247, admitiu que pode tomar a iniciativa de propor a regulamentação dos artigos 221, 222 e 223 da Constituição, que nunca foram regulamentados.

30 de dezembro de 2014
por esmael
5 Comentários

Desafio de Berzoini é regular a mídia familiar. Terá colhão ou vai “afrouxar a tanga” nas Comunicações?

do Brasil 247
berzoini_midiaO novo ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, assume o cargo em 1!º de janeiro com uma missão clara: avançar na regulação do setor de mídia no Brasil, enfrentando distorções históricas como a super concentração e a propriedade cruzada no setor.

Em razão desses dois fatores, além dos incentivos oficiais, ao longo do tempo, concedidos para a consolidação desse modelo, o Brasil produziu alguns clãs de poderosos bilionários. Os três irmãos Marinho, com quase US$ 10 bilhões cada um, segundo o último ranking da revista Forbes, são a ponta mais vistosa, na platinada TV Globo.

Mesmo em declínio, os irmãos Civita, da Editora Abril, também frequentam o clube dos bilionários em dólar. Com grande poder de influência, à  frente dos jornais Folha e Estado, os Frias e os Mesquista igualmente possuem vasta fortuna e nem querem ouvir falar em regulação.

25 de dezembro de 2014
por esmael
18 Comentários

Dilma Rousseff terá coragem para regular a mídia no segundo mandato?

do Brasil 247
berzoiniA indicação de Ricardo Berzoini para o ministério das Comunicações, dada como certa em Brasília, é vista como o principal rosto do PT na Esplanada e confirma a importância da democratização da mídia no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, escreve Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, em seu blog.

“Hoje ministro de Relações Institucionais, Berzoni é um partidário assumido da democratização dos meios de comunicação. Bandeira histórica do Partido, a democratização ganhou corpo nas fileiras do PT e junto a camadas muito mais amplas da sociedade depois da campanha de 2014, quando vários indicadores demonstraram que os principais grupos de mídia atuaram abertamente para favorecer os adversários de Dilma”, diz trecho do artigo do jornalista.

24 de novembro de 2014
por esmael
35 Comentários

Cotado para o Ministério das Comunicações, Requião defende no Senado a regulação da mídia

requiao_lei_meios.jpgO senador Roberto Requião (PMDB-PR) defendeu nesta segunda-feira, 24, no plenário, a regulação da grande mídia nacional, hoje monopolizada por algumas poucas famílias.

Ao discorrer sobre partidarização da mídia nas eleições de 2014, o parlamentar, que é cotado para assumir o Ministério das Comunicações, classificou-a como “hipócrita”:

“Melhor fosse que assumissem limpidamente apoio à s candidaturas conservadoras, pelas quais torcem e distorcem. Seria mais digno, mais decente, do que ficarem brandindo indevidamente a bandeira da liberdade de imprensa, cada vez que se aponte a sua nudez, as suas vergonhas expostas.”

Assista ao vídeo:

Para Requião, a mídia monopolista está a serviço de interesses que contrariam a soberania nacional, os direitos dos trabalhadores e o combate à  corrupção.

Segundo ele, países com o os Estados Unidos e a Inglaterra adotam legislações que impedem a propriedade cruzada dos meios de comunicação, que tende ao controle da informação por um pequeno grupo de interesses.

Abaixo, leia a íntegra do discurso:

22 de novembro de 2014
por esmael
22 Comentários

Ainda no radar de Dilma, senador Requião cancela viagem ao Vietnã

requiao_comunicacao.jpgO senador Roberto Requião (PMDB-PR) cancelou viagem que faria a partir deste sábado (22) para Hanói, no Vietnã, para acompanhar de perto o anúncio do ministério de Dilma Rousseff (PT). Leia mais

9 de novembro de 2014
por esmael
29 Comentários

Bolsa-Imprensa x Bolsa-Família: Verdades & mitos pós-eleição e regulação da mídia no Brasil

bolsa_imprensa_bolsa_familia.jpgDurante a campanha presidencial deste ano deparamos com mitos e verdades, que, à  medida que o evento fica para trás e despimo-nos daquelas paixões eleitorais, fica mais fácil analisarmos friamente o que se passou e projetarmos o nosso futuro. Leia mais

8 de novembro de 2014
por esmael
12 Comentários

Candidato de Globo e Veja, Cunha promete “engavetar” regulação da mídia se eleito presidente da Câmara

cunha_midia.jpgO deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é da tropa de choque da velha mídia. No início deste ano, no exercício da liderança peemedebista na Câmara, orientava a bancada para votar contra o marco civil da internet. Ele fazia lobby para as teles e empresas de radiodifusão como a TV Globo (clique aqui). Leia mais

2 de junho de 2014
por esmael
11 Comentários

Aécio Neves: “Controle dos meios de comunicação é censura”

do Brasil 247 O projeto de regulamentação da imprensa defendido pelo PT foi duramente criticado nesta manhã, em São Paulo, pelo pré-candidato do PSDB à  Presidência da República, Aécio Neves. Ele classificou como “censura” a proposta do partido governista. “Controle dos meios de comunicação é censura. Liberdade de imprensa é o maior valor numa sociedade democrática”, afirmou, em evento promovido pelo Estadão Corpora, do jornal O Estado de S. Paulo.

Aproveitando que falava a uma plateia de lideranças empresariais, Aécio abordou a inflação, o crescimento da economia, o sistema tributário, problemas no setor de energia e defendeu o agronegócio. O pré-candidato prometeu criar uma secretaria para “simplificar a questão tributária” caso seja eleito presidente em outubro. E ainda “tolerância zero” à  inflação: “o centro da meta é que vamos buscar e não o teto. No primeiro ano podemos estreitar as bandas, que hoje são excessivamente largas”, disse. Previsibilidade e regras claras “é o que vamos fazer”, acrescentou.

O presidenciável atacou o crescimento de 0,2% do PIB no primeiro trimestre do ano. Valor só não foi mais “vexatório” graças ao agronegócio, disse Aécio, que aproveitou para defender o setor. Em sua opinião, a troca de cargos no Ministério da Agricultura tem sido feita mais como manobra política do que para a entrada de técnicos e especialistas. “à‰ comum ver indicações que são feitas sem qualquer sintonia com o setor”, disse. “O agronegócio foi o setor que mais investiu em produtividade nos últimos anos, mas a parte do governo não foi feita”, complementou.

Ainda na área econômica, Aécio disse que o governo da presidente Dilma Rousseff trata de forma “pouco amistosa” o capital privado e atacou o “viés autoritário e intervencionista” dos governos petistas. “O Brasil vive um presidencialismo quase que imperial”, disse. Aécio mencionou “falta de vontade política para enfrentar questões essenciais” por parte do governo do PT e concluiu: “o Brasil tem jeito, sim. O problema é o governo”.

16 de Maio de 2014
por esmael
9 Comentários

“Questão da regulação da mídia é imperiosa”, diz Lula

do Brasil 247“Eu me dou o direito de dar entrevista para quem eu quero, na hora que eu quero”, disse o ex-presidente Lula, na manhã desta sexta-feira 16, em palestra no 4!º Encontro Nacional dos Blogueiros. Ele explicou que ficou “impressionado com a violência com que a imprensa tratou minha entrevista ao blogueiros, lá no Instituto da Cidadania”.

Lula foi fundo em sua crítica à  mídia. Na primeira parte de seu discurso, ele citou legislações recentes feitas na Inglaterra, Argentina e Equador que impuseram normas ao funcionamento da mídia. “Todos as sociedades democráticas do mundo contam com mecanismos de regulação dos meios de comunicação”, disse Lula.

“Nos Estados Unidos, há a proibição da chamada propriedade cruzada. Em outros países, como Espanha, Portugal, França e Itália há leis que tratam dos meios de comunicação. Não venham dizer que isso é censura, ou que estamos querendo controlar os meios de comunicação. Estou citando países capitalistas. Não venham dizer que sou esquerdista, nem citei a Venezuela do saudoso presidente Chávez”.

O ex-presidente prosseguiu: “Tenho viajado pelo mundo todo fazendo esse debate, mas o que vejo aqui é uma mídia que desanca o País”. Lula alertou ainda: “Queria que ficasse claro que ninguém quer censurar ninguém, queremos apenas gritar mais alto ‘Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós”.

Lula criticou a negação à  política: “A negação da política não melhorou nenhum pais do mundo”, apontou. “Eu não acredito em política sem esperança”, acrescentou. Ele disse ver como a televisão se dá o luxo de “esculhambar a política”. Ele disse que não vale a pena chorar porque tal jornal fala mal do PT, e que o que precisamos fazer é usar os blogs que estão do lado do País.

O discurso do deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, que pediu “Dilma na Papuda” durante evento do 1!º de Maio, foi classificado como “falta de respeito” pelo ex-presidente. “Eu nunca vi tanta virulência de ataque preconceituoso contra a Dilma hoje”, disse. Segundo Lula, a oposição “está é com medo da Dilma”.

Ao falar sobre a crise hídrica em São Paulo, ironizou ao dizer que, se a responsabilidade fosse do prefeito Fernando Haddad, os ataques da imprensa seriam muito piores. “Cadê o choque de gestão?”, questionou, em referência ao lema do PSDB. Ele acrescentou em seguida: “O choque de gestão significa: redução de salário e dispensa de trabalhador”.

Sobre a Copa do Mundo, Lula disse que não se preocupa com o volume de dinheiro que entrará no País e voltou a dizer que o Mundial é uma “oportunidade extraordinária” do País de mostrar ao mundo como ele é. “Mostrar a beleza desse povo, esse povo alegre, respeitoso”. Ele disse que não é necessário criar uma lei contra mascarados. “Não precisa de lei, precisa da sociedade atenta, porque um cara que sai mascarado nas ruas não têm b

14 de Maio de 2014
por esmael
17 Comentários

Lula defende nova Lei de Mídia no Brasil: “Código é de 1962”

do Brasil 247
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva avançou na defesa de uma nova legislação para regular o funcionamento dos meios de comunicação de massa, a chamada Lei de Mídia, ou de Meios. Até o discurso feito ontem na abertura do 2!º Encontro Nacional de Diários do Interior, em Brasília, o ex-presidente sempre fora um crítico do noticiário dos veículos da mídia nacional, de perfil tradicional e familiar, mas não havia deixado tão claro o quanto considera importante mudar a legislação do setor.

– O Código de Telecomunicações é de 1962, quando não havia nem televisores no Brasil, mas televizinhos, como diz o Franklin Martins, divertiu-se o ex-presidente diante da plateia. Além do ex-ministro da Secretaria de Comunicação, principal incentivador de uma Lei de Mídia dentro do governo e do PT, Lula também citou o ex-secretário-geral da Presidência Luiz Dulci, defensor da mesma posição.

– Uma das mudanças mais importantes que fizemos nestes 11 anos foi democratizar o critério de programação da publicidade oficial, afirmou Lula. Em seguida, fez uma comparação de causar impacto:

– Quando chegamos ao governo, a publicidade oficial era veiculada em anunciava em 249 rádios e jornais. Em 2009, o governo federal já estava anunciando em 4.692 rádios e jornais de todo o país, cotejou.

Lula frisou que considera completamente distorcidas as coberturas jornalísticas feitas pela “mídia nacional” sobre, sem exceção, todos os programas de inclusão social de sua gestão e da presidente Dilma Rousseff. Iniciando pela história da implantação do Fome Zero, Lula assinalou que viu os jornais de maior circulação e as principais emissoras de televisão !“ sem citar o nome de nenhum veículo, empresa ou família detentora !“ atacarem, desdenharem, criticarem, encobrirem e não reconhecerem os resultados das seguintes ações de governo: Luz Para Todos, Mais Alimentos, Mais Médicos, Minha Casa, Minha Vida, ProUni, Reuni, Fies, o Samu e, ainda, o BNDES. Ufa!

Para cada programa, citou lembranças de como vem sendo a cobertura nos jornalões e resgatou que as maiores agências de publicidade criticam o governo quando verbas foram redivididas:

– Reclamaram quando o Luiz Dulci incluiu a imprensa regional na programação de publicidade do governo federal.

E reclamaram ainda mais quando o Franklin Martins aprofundou a política de democratização da publicidade, abrangendo as empresas estatais, sublinhou.

Lula prosseguiu:

– Diziam (as agências) que para falar com o Brasil bastava anunciar nos jornais de circulação nacional e nas redes de rádio e TV. Hoje é fácil ver como estavam errados, pois a imprensa regional está cada vez mais forte. São 380 diários que circulam 4 milhões de exemplares por dia, de acordo com os dados da ADI-Brasil.

Antes da íntegra do pronunciamento de Lula, que já reacendeu o debate sobre uma Lei de Mídia, um dos pontos altos do discurso ao 2!º Encontro dos Diários do Interior:

– Os grandes jornais nunca deram valor ao Luz Pra Todos, mas quando o programa superou todas as expectativas e alcançou 15 milhões de brasileiros, um desse jornais deu na primeira página: “1 milhão de brasileiros ainda vivem sem luz”. Está publicado, não é invenção, riu-se Lula.

Abaixo, a íntegra:

à‰ sempre u

8 de Abril de 2014
por esmael
12 Comentários

Lula defende retomada ‘com muita força’ da regulação da mídia no país

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (8), em São Paulo, durante entrevista coletiva a blogueiros, em quase três horas e meia, que o PT e o governo Dilma Rousseff vão retomar o projeto de regulação da mídia no país.

“Nós vamos ter que retomar com muita força essa história da regulação dos meios de comunicação”, disse. O ex-presidente também ressaltou a aprovação do Marco Civil da Internet. “Há 50 meses atrás nenhum de vocês acreditava que nós aprovaríamos Marco Civil”.

Segundo Lula, foi preciso aparecer um Edward Snowden, pivô dos escândalos que abalaram a comunidade de espionagem americana, para que avançasse a aprovação do Marco Civil.

Lula defendeu a realização da Copa do Mundo e a construção de estádios no país. “O Brasil que não tinha nenhum estádio. Hoje terá dois estádios competitivos”.

“A dívida do Corinthians não é com o BNDES, é com a Odebrecht. Ela que tem que pagar o banco”, observou.

O ex-presidente também criticou o Supremo Tribunal Federal (STF) e setores da mídia que, nas palavras dele, têm dois pesos e duas medidas. “Enquanto pediam um julgamento de forca para o Zé Dirceu, agora defendem um julgamento civilizado para o outro lado (tucano)”, comparou.

Lula não se furtou em falar sobre o caso André Vargas: “Ele tem que explicar para a sociedade, porque não tem sentido. Ele é vice-presidente de uma instituição importante, a Câmara dos Deputados, e eu acho que quando você está num cargo desse, você tem que ser exemplo. Eu espero que ele consiga provar e convencer a sociedade que não tem nada além da viagem [com o doleiro Alberto Youssef], o que já é um erro. Eu espero, eu torço, porque quem paga o pato é o PT”.

O ex-presidente também pediu aos entrevistadores que contribuam para “acabar com essa boataria toda” de “Volta, Lula” e cravou apoio à  reeleição da presidente Dilma Rousseff: “Ela é disparadamente a melhor pessoa para ganhar as eleições”, disse. “Eu já cumpri minha tarefa, já me dou por realizado”, acrescentou.

Esta foi a segunda vez que Lula concedeu entrevista coletiva a blogueiros. A primeiro ocorreu em 2010, quando ele ainda estava na Presidência da República.

A seguir, leia os principais tópicos e respostas de Lula na entrevista:

PETROBRAS – Sobre a Petrobras, o petista mencionou interesses políticos de quem quer criar a CPI no Congresso – gente que “nunca quis criar CPI, para nada” – e afirma que “não adianta comparar” o valor que a empresa tem hoje e durante o governo FHC. “Se ela vale R$ 98 bilhões hoje, ela valia R$ 15 bilhões durante o governo FHC”, lembrou Lula. “O que as pessoas não aceitam? Que a gente fez o regime de partilha”, acrescentou, sobre o modelo de extração de petróleo adotada para o pré-sal. “E muitos desses queriam privatizar a Petrobras há pouco tempo”, atacou ainda o ex-presidente.

Lula reclamou mais ações do PT e de setores do governo em defesa da atual gestão. “Tem de levantar a cabeça e enfrentar para valer o debate político&#