Coluna do Ricardo Mac Donald: “A greve do lixo em Curitiba”

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, afirma que  conhece a ficha dos dirigentes do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba (Siemaco); ele se refere ao presidente da entidade, Manassés Oliveira, ex-comandante do Comitê Lealdade na campanha de reeleição do então prefeito Beto Richa (PSDB), em 2008, financiado com recursos de caixa 2; capitão do time do atual prefeito Gustavo Fruet (PDT) não tem dúvidas: “Vemos uma greve política com objetivo de desgastar a administração municipal”; leia a íntegra do texto.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, afirma que conhece a ficha dos dirigentes do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba (Siemaco); ele se refere ao presidente da entidade, Manassés Oliveira, ex-comandante do Comitê Lealdade na campanha de reeleição do então prefeito Beto Richa (PSDB), em 2008, financiado com recursos de caixa 2; capitão do time do atual prefeito Gustavo Fruet (PDT) não tem dúvidas: “Vemos uma greve política com objetivo de desgastar a administração municipal”; leia a íntegra do texto.

Ricardo Mac Donald*

Como no ano passado, quando o Sindicato da categoria firmou acordo vantajoso para os trabalhadores, e depois incentivou uma greve desnecessária, vemos hoje a repetição da mesma tática, colocando a cidade como refém desses dirigentes.

Mais uma vez, o pedido é feito sem considerar a situação econômica do País e está bem acima da inflação do período.

Mais uma vez, reincidem na desobediência à decisão da Justiça do Trabalho, que determina, sob pena de multa, a manutenção de frota e equipe mínimas para o atendimento do serviço, considerado essencial à população.

Mais uma vez, apesar de ter recebido uma oferta feita pelo Procurador Geral da Justiça do Trabalho, com percentuais significativamente acima da inflação, insuflam a categoria à greve.

Já recebem o melhor salário do Brasil, entre as capitais, mesmo assim não consideram o que ocorre a sua volta, com colegas do Rio de Janeiro e de São Paulo, por exemplo, que pedem reajuste limitado à inflação do período.

Por tudo isso, e conhecendo a ficha dos dirigentes, vemos uma greve política, com objetivo de desgastar a administração municipal.

Apenas ontem à tarde, enquanto eu escrevia esta nota, graças à ação da Justiça do Trabalho, foi interrompida essa paralisação, que causou grandes prejuízos à cidade.

*Ricardo Mac Donald Ghisi é advogado, secretário Municipal de Governo de Curitiba. Escreve à s sextas no Blog do Esmael.

Comentários encerrados.