Coluna do Requião Filho: Beto Richa, o “sujeito oculto” do pacote de maldades

richa_requiaofilho.jpgRequião Filho*

No português tínhamos o falecido sujeito oculto!. Hoje a nomenclatura é mais chique e o sujeito oculto passou a se chamar sujeito elíptico!, subentendido! ou desinência!. Na política, todavia, contudo, entretanto… O SUJEITO OCULTO está na moda, em especial no nosso Estado do Paraná.

Uma boa definição para sujeito oculto na política local seria aquele sujeito que, embora não apareça na oração, não apareça no trabalho, não apareça para dar explicações, vive rezando para que você não abra os olhos e enxergue que o Governo dele não passou de mentira, propaganda; que ele quebrou o Estado do Paraná.

O Oculto sujeito paranaense vem se estabelecendo há tempos. Em toda e qualquer crise que temos no Estado o Oculto some ainda mais, escafede-se para ser mais exato. Foi assim nas crises das penitenciarias. Está sendo assim na crise que desmontou o sistema integrado de transporte de Curitiba e Região Metropolitana. E, por último, mas não menos importante, no episódio do pacote de maldades, greve geral e embate entre polícia e funcionários públicos. O sujeito oculto sumiu tanto que praticamente virou sujeito indeterminado.

O político oculto se escondeu atrás de seus asseclas. Todos foram treinados para dizer que o pacote de maldades era idéia do secretário importado e, portanto, a culpa não era dele. Oras! Ele nem sabia onde era o Paraná quando no governo passado saquearam e sumiram com o nosso rico dinheirinho a ponto de não pagar promoções, férias e afins. A culpa é do sujeito ocultado pela mídia até então.

A crise se instalou na ALEP e o sujeito passou a ser inexistente. A bancada do camburão, como foi carinhosamente apelidada a base de apoio, passou uma semana levando porrada de todos os lados, sendo culpada pelo desastroso planejamento e péssima execução de um plano arquitetado por uma das capivaras do parque Barigui (não foi um ser pensante que elaborou a estratégia do pacotaço na base do vale-tudo).

O Oculto sujeito que governa o Paraná, não aparece na oração, não aparece para trabalhar e não aparecerá para negociar! Sim! Ele se mocozou! no Litoral catarinense e novamente jogou a bomba no colo de outro (melhor que na quinta-feira passada quando mandou jogar bombas nos funcionários públicos que lutavam para salvar o futuro do Paraná).

Que há de sentar, hoje, e enfrentar a carga será o chefe da Casa Civil. O sujeitinho fraco esse nosso…

Aqui no Paraná só temos umas poucas chances de ver o tal oculto sujeito, nos feriados como Páscoa, Natal, e quando uma criança perde um dente de leite, pois o sujeito oculto só aparece para o Paraná que acredita… acredita em conto de fadas, Papai Noel e Coelhinho da Páscoa.

*Requião Filho é advogado, deputado estadual eleito pelo PMDB, especialista em políticas públicas. Escreve à s quintas no Blog do Esmael.

Comentários encerrados.