Fruet libera a catraca na greve dos cobradores de ônibus em Curitiba

Publicado em 26 junho, 2014
Compartilhe agora!

Gustavo Fruet enfrenta greve de cobradores de ônibus no último jogo da Copa, nesta quinta (26); Prefeitura de Curitiba libera catraca para usuários, que não precisam pagar tarifa, no dia de hoje; Sindimoc calcula prejuízos de até R$ 6 milhões ao dia com a medida e diz estranhar que não seja concedido reajuste à  categoria que custaria apenas R$ 3 milhões ao ano.
Gustavo Fruet enfrenta greve de cobradores de ônibus no último jogo da Copa, nesta quinta (26); Prefeitura de Curitiba libera catraca para usuários, que não precisam pagar tarifa, no dia de hoje; Sindimoc calcula prejuízos de até R$ 6 milhões ao dia com a medida e diz estranhar que não seja concedido reajuste à  categoria que custaria apenas R$ 3 milhões ao ano.
O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), para minimizar a greve dos cobradores de ônibus em Curitiba, liberou a catraca para os usuários que não precisam hoje pagara a tarifa.

Nesta quinta-feira (26), tem o último jogo da Copa do Mundo na Arena da Baixada, à s 17 horas, quando Argélia e Rússia se enfrentarão valendo vaga para as oitavas de final.

“Para não prejudicar a população, autorizamos a circulação dos ônibus sem os cobradores nesta quinta-feira (26), em razão da greve da categoria”, explicou o prefeito nas redes sociais.

No momento, 100% da frota prevista para o horário circula sem cobradores. Os trabalhadores reivindicam reajuste nos salários.

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de à”nibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) calcula que um dia sem cobrador gera prejuízo de R$ 4 milhões a R$ 6 milhões. Em contrapartida, se a Prefeitura de Curitiba conceder o reajuste, o custo seria R$ 3 milhões no ano inteiro.

Compartilhe agora!

Comments are closed.