Coluna do Ricardo Mac Donald: O humor dos brasileiros na Copa

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, acredita que o resultado da seleção brasileira em campo vai influenciar o comportamento do povo nas ruas do país; "As pessoas estão agindo como se houvesse apenas dois tempos: antes da Copa e depois da Copa, como não houvesse mais História", observa o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet, que aproveita para dar um "peteleco" no colunista das segundas, Marcelo Araújo: "A fixação constante, de sua mente conturbada, na figura do Prefeito, é fruto de comportamento que, para algumas nominações religiosas, é tida como doença"; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, acredita que o resultado da seleção brasileira em campo vai influenciar o comportamento do povo nas ruas do país; “As pessoas estão agindo como se houvesse apenas dois tempos: antes da Copa e depois da Copa, como não houvesse mais História”, observa o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet, que aproveita para dar um “peteleco” no colunista das segundas, Marcelo Araújo: “A fixação constante, de sua mente conturbada, na figura do Prefeito, é fruto de comportamento que, para algumas nominações religiosas, é tida como doença”; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald*

Se há poucos meses eu afirmasse que iriam roubar um leão, matar um torcedor com uma privadada!, que índios dariam flechadas na capital da República e que patrão ia esquartejar e assar o mordomo, me chamariam de doido.

Mas, desde junho do ano passado, quando o humor e o otimismo dos brasileiros deu uma guinada brusca, vivemos em sobressaltos permanentes. A rua virou palco de manifestações e greves, numa sucessão de transtornos para o cidadão que precisa de mobilidade, saúde, segurança e educação.

Não passa um dia, no Brasil, sem que se noticiem passeatas, depredações, ocupações. E quando falta a polícia, que também quer se manifestar, acontecem saques, arrastões, mortes e vandalismo, sem qualquer objetivo que não a destruição do patrimônio público e privado.

As pessoas estão agindo como se houvesse apenas dois tempos: antes da Copa e depois da Copa, como não houvesse mais História.

Pois bem, inauguramos, no último dia 10, a remodelação da Praça do Atlético, que está pronta para receber os torcedores. Curitiba fez a sua parte. Vou torcer pelo Brasil, mas confesso que por um motivo a mais: temo pelo que possa ocorrer se houver um tropeço da nossa seleção nas oitavas ou nas quartas de final. Não tanto por Curitiba, afinal, somos ordeiros e os jogos aqui já terão ocorrido, mas pelas cidades onde se darão jogos internacionais e possíveis partidas da seleção brasileira.

Com toda essa virada de humor, como reagirá o povo?

Ordem no terreiro – VI

Prometi não me referir mais ao temperamental coleguinha das segundas-feiras. Ocorre que, ao sentir-se ignorado, ele passa a aumentar as ofensas e inverdades, procurando ser visto.

Lhe digo: nunca mais vai ser Secretário Municipal de Trânsito, porque sua incompetência não permite. Também não foi indicado pelo Município para o Conselho Estadual de Trânsito, como solicitava ao seu ex colega de escola.

A fixação constante, de sua mente conturbada, na figura do Prefeito, é fruto de comportamento que, para algumas nominações religiosas, é tida como doença.

*Ricardo Mac Donald Ghisi é advogado, secretário Municipal de Governo de Curitiba. Escreve à s sextas no Blog do Esmael.

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. ‘Prometi não me referir mais…’, e não cumpriu sua promessa. Se o colunista não tem estrutura para cumprir suas promessas, vale ao menos o reconhecimento de seu fracasso, o qual humildemente perdôo. Dessa vez eu perdôo, continue se esforçando para cumprir suas promessas, e para mostrar que sou solidário não farei nenhum comentário sobre seu texto nem hoje nem na minha coluna. Força, não desista!

  2. A prefeitura atual chamando o antigo secretário de trânsito de incompetente é o clássico roto falando do esfarrapado.
    A indústria de multas continua lucrativa e a lambança do EstaR está cada vez pior para o cidadão.
    Mudou o que de lá pra cá?

  3. JCamargo, referente aos ARAÚJOS é o que mais tem por aí, não servem nem para adubo.
    Lembro-me de uma situação onde o mesmo por passagem breve na administração de anterior municipal, recebeu doação de algumas bicicletas e hoje critica que estão sucateadas ou foram roubadas.
    Então, na época foram doadas por um empresário dono de Pedágio, que controla duas concessionárias do pedágio (Ecovia e Ecocataratas), provavelmente fez doação de algumas bikes para descontar em imposto de renda. Ele Arrecada bilhões com a cobrança do pedágio no Estado do Paraná e faz doação de algumas bikes (sem comentários)
    O sonho deste empresário do pedágio é ser um dia prefeito de Curitiba, no momento pleiteia a vaga ao Senado pelo Estado do Paraná.
    Onde fica o a história do ARAÚJOS(Lixo não reciclável) ele presta assessoria para o então dono de pedágios, que faz criticas a administração municipal de Curitiba.
    Entendeu JCAMARGO!!!!

  4. Esse meu parente desatinado não para de me envergonhar. Se há poucos meses alguém dissesse que Curitiba teria um secretário que seria conhecido como Capitão do Mato, homenageado pelo sanduba Mac Mato, tamanho o matagal não roçado da cidade eu não acreditaria. Afinal, a cidade sempre se deu ares europeus e agora está parecendo uma savana africana, tanto é o mato que o secretário Mac Mato deixa crescer nas ruas e nas praças. Em lugar de roçar ele se preocupa com o pedágio dos armazens. E não se esqueçam: o único cara sério dessa família sou eu!

  5. e a rosangela maria batistella da urbs por que participa de conselhos da prefeitura como o conselho do transporte público?

  6. Muito bem dito, pelo melhor Secretário de Governo deste lado do Atlântico… se o Brasil perder a Copa, os vândalos quebrarão o país…menos em Curitiba, onde o melhor prefeito do mundo mantém altíssima popularidade.

    Quanto ao Marcelo Araujo, tá explicado o ataque ao Gustavo… queria uma boquinha…

    Mais um a venda…

  7. JCAMARGO

    Aproveitando a oportunidade, quem está por trás deste Sr. Marcelo(verme)Araújos, tanto faz críticas a administração municipal de Curitiba, se acha dono da razão, quem é o maior interessado? Será seu empregador algum dono de pedágio?
    Tantas críticas a administração atual sem fundamentos e mentirosas. Quais pessoas jogam contra nossa cidade. Curitiba merece mais respeito!

  8. Como podemos ter um secretário de governo deste perfil, desta personalidade, deste caráter? Se tivesse idéia de quais seriam os escolhidos pelo candidato Gustavo Fruet, para serem seus secretários, JAMAIS votaria nele. É uma decepção a cada dia. Fui enganado pelo anão.

    • grande parte do secretariado do prefeito Gustavo fruet, foi escolhido por suas qualidades técnicas, ou seja, por serem competentes. não merecem ser comparados aos que assumiram seus cargos como pagamento de campanha e principalmente por herança de chupim que seu pai deixou. esse sujeito arrogante,levou um pe na bum”¦ do nosso governador, e ainda não aprendeu. fruet perde popularidade com essa gente

  9. De minha parte, preferia que os recursos públicos estivessem melhorando a cidade, não a serviço dos interesses da FIFA que migra de país em país se aproveitando da situação.

    Percebo também o exagero do Marcelo Araújo. Ele perdeu o foco, parece que critica simplesmente por fazer parte de outro grupo político.