Vem aí mais recessão, prevê Paulo Guedes, nas vésperas de 2022

Vem aí mais recessão, prevê Paulo Guedes, nas vésperas de 2022

O ministro da Economia, Paulo Guedes, é a fórmula perfeita para se perder uma eleição presidencial.

O “Posto Ipiranga” do presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou na sexta-feira (03/12), durante Encontro Anual da Indústria Química, que a subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, ou seja, provocará mais recessão nas vésperas de 2022.

Desaceleração significa que a economia quase vai parar em ano eleitoral com menos consumo e menos emprego. O quadro recessão se completa com a produção sem ter massa salarial. Há ainda quem veja uma estagflação, a recessão agravada pela inflação.

“A Faria Lima e os banqueiros estão prevendo um crescimento menor. É natural. No ângulo de visão de financistas, é claro que vai haver uma desaceleração forte, porque os juros estão subindo. A inflação subiu, de novo estamos fazendo a coisa certa. O importante não é a previsão. O importante é fazer a coisa certa. O resultado será o melhor possível. Quando previram que o Brasil ia cair 10 [%], eu apenas descredenciei a previsão de 10. Eu não disse quanto ia cair. Aí surgiu uma guerra de fatos. Eu acreditava em recuperação em V. Não disse em quanto tempo e aconteceu até mais rápido do que eu esperava. Em compensação, veio acompanhada do componente inflacionário”, disse o ministro representantes dos bancos.

Pelo discurso de Paulo Guedes, ele “assumiu” a coordenação da campanha do ex-presidente Lula (PT) ou de Sergio Moro (Podemos) porque o titular da Economia joga contra o governo, contra o emprego, contra os trabalhadores, contra o país e contra a possibilidade de reeleição de Bolsonaro.

Bolsonaro pelo jeito não quer ir para o segundo turno, por isso ele mantém Guedes no governo.

Leia também

Agora vai! Moro procura Leite

Presidente do PT no Paraná diz que “concorda” com Sergio Moro e Jair Bolsonaro; entenda

Oposição dá oxigênio para Bolsonaro com objetivo de segurar avanço de Moro; entenda por quê