URGENTE: Deltan Dallagnol pode ser alvo de ação popular de R$ 10 bilhões por acordo de leniência com pedágios

O k-suco ferveu para o ex-procurador da República Deltan Dallagnol, pré-candidato a deputado federal pelo Podemos do Paraná, que poderá enfrentar uma ação popular pedindo o ressarcimento de até R$ 10 bilhões ao erário por causa de acordo de leniência com as concessionárias de pedágio considerado lesivo aos interesses do povo paranaense.

O Blog do Esmael apurou que o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD), da Frente Parlamentar sobre o Pedágio, estuda a ação judicial porque as pedageiras cobraram dos usuários de rodovias R$ 10 bilhões durante a vigência do contrato, mas não realizaram as obras previstas nos contratos. No entanto, o então procurador da Lava Jato celebrou acordo livrando-as do pagamento e dando salvo conduto para elas participarem da nova licitação – segundo denuncia o parlamentar.

Desde de novembro de 2021, os polêmicos contratos de pedágio venceram depois de 24 anos explorando e lesando os usuários nas estradas paranaenses.

O governo estadual delegou a licitação para a União, que, em virtude das eleições, adiou para o ano que vem, com a previsão de instalação de 15 novas praças [antes, eram 27 praças]. Em 2023, o Paraná poderá ter 42 praças de pedágio.

– Deltan Dallagnol ficou nervosinho com a afirmação que eu fiz, que ele livrou a cara das pedagiadas corruptas aqui do Paraná com aquele famigerado acordo de leniência. Não adianta chilique, Deltan. Pirotecnia, malabarismos e equilibrismo retóricos não vão me afastar daquilo que acredito – disse Romanelli neste sábado (28/05),em vídeo publicado nas redes sociais.

Em um dos trechos do vídeo, Romanelli diz que Deltan tenta surfar como se ainda estive nas “Maldivas”.

Lava Jato celebrou acordo de leniência com concessionárias de pedágio no Paraná
Deltan Dallagnol pode ser alvo de ação popular de R$ 10 bilhões sobre acordo de leniência com pedágios, prejudicial ao interesses do povo paranaense – segundo deputado Romanelli.

O Blog do Esmael apurou que o deputado se referiu ao fato de o ex-procurador ter sido visto nas Maldivas, país no Oceano Índico, pegando ondas de surf.

Veja também  Congresso irá propor auxílio emergencial com sacrifícios contra servidores públicos

O bate-boca foi iniciado com uma entrevista de Romanelli à Rádio Clube de Ponta Grossa, quando a repórter Mareli Matins questionou o parlamentar sobre as obras não realizadas. “Essa pergunta você deveria fazer ao ex-procurador da República, Deltan Dallagnol, pois ele que fez o acordo de leniência com as concessionárias”, devolveu ele.

Então, Deltan partiu para o ataque em vídeo dizendo que Beto Richa e Ratinho Junior teriam concordado com o atual acordo de leniência com os pedágios.

“Não minta, Deltan!”, exclamou hoje Romanelli.

Assista a íntegra do vídeo de Romanelli, que fulmina Deltan Dallagnol:

Aqui, leia a íntegra do texto do vídeo acima [Romanelli x Deltan]:

Eu vi que o ex-procurador da República Deltan Dallagnol ficou nervosinho com a afirmação que eu fiz, que ele livrou a cara das pedagiadas corruptas aqui do Paraná com aquele famigerado acordo de leniência.

Diferente de Dallagnol, eu jamais serei leniente na defesa das causas do Paraná.

Não adianta chilique, Deltan. Tem que dar explicações aos paranaenses e não tentar surfar como se ainda estive nas “Maldivas”.

Eu sempre alertei, lá na Assembleia Legislativa que o acordo de leniência que estava sendo feito pela Procuradoria da República [Lava Jato] era extremamente lesivo ao Paraná e aos paranaenses. Lesivo porque não obrigou as concessionária a executar as obras previstas no contrato original e ainda deu um salvo conduto para que elas pudessem disputar as novas concessões de rodovias, mesmo depois de passarem 24 anos lesando a economia do Paraná.

E não minta, Deltan!

O Estado do Paraná, através da sua Procuradoria, não assinou o acordo conduzido por você e entrou com ações na Justiça para que as concessionárias cumprissem os contratos e realizarem todas as obras previstas no contrato original e que já foram pagas pelos paranaenses.

A verdade, minha gente, é que à frente da Lava Jato, Deltan sempre se comportou como se fosse o Moisés, levando o povo à terra prometida.

Por alguma razão, nesse assunto dos pedágios, ele parou no meio do deserto para negociar com os mercadores.

De fato, o acordo de leniência é um instrumento importante para manter empresas e empregos e, ao mesmo tempo, punir os gestores públicos e privados que se corrompem. Mas, no caso das concessões no Paraná, sempre questionei e vou continuar questionando esses acordos.

E quem liderou esse processo e que aliviou a vida das concessionárias?

Não adianta chilique, Deltan.

Pirotecnia, malabarismos e equilibrismo retóricos não vão me afastar daquilo que acredito.

Os acordos que vocês fizeram livraram, sim, a cara das concessionárias.

E essas mesmas empresas e que lesaram e roubaram o Paraná poderão assumir as nossas rodovias por mais 30 anos, graças a um ato de leniente de quem deveria defender o interesse público.

A situação é essa, minha gente.