6 de Maio de 2014
por esmael
28 Comentários

Aécio Neves propõe “Petrobras independente”. Ou seria uma privatização disfarçada?

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato a presidente da República, vai propor nos próximos a bandeira “Petrobras independente” para “salvar a estatal de petróleo da ingerência dos políticos e da incompetência administrativa”. à‰ o que informa o boletim Relatório Reservado desta terça-feira (6).

O comunicado dirigido ao mundo dos negócios e finanças usa marcações fortes contra o PT e a companhia de energia tais como aparelhamento partidário!, interferências políticas!, os desmandos administrativos!, corrupção generalizada!.

Relatório Reservado crava já no título que “Aécio descobre seu pré-sal eleitoral” e aponta o mote “Petrobras independente” como elixir para todas as manchas que a oposição, da noite para o dia, passou a enxergar na pele da estatal.

Na prática, Aécio defende que a Petrobras sirva somente aos interesses dos mais ricos e dos sócios privados. O tucano tem ojeriza ao fato de a estatal investir sua energia em programas sociais. Para essa turma, o ideal seria privatizar a companhia, mas falta-lhe coragem para dizer isso abertamente. A “nova” proposta do presidenciável do PSDB é uma cópia do receituário neoliberal que também luta pela “independência” do Banco Central do Brasil. Os Estados Unidos apoiam essa ideia.

Leia a íntegra do comunicado do Relatório Reservado:

Aécio descobre seu pré-sal eleitoral

A exploração política da Petrobras promete ir muito além do pré-sal eleitoral. O candidato Aécio Neves pretende colocar no seu balaio de campanha a promessa de gestão autônoma da estatal. A proposta da Petrobras independente! será embalada e vendida como a cura para todos os males que assolam a companhia. A medida, portanto, seria um elixir contra o aparelhamento partidário!, as interferências políticas!, os desmandos administrativos!, a corrupção generalizada! e todas as demais manchas que a oposição, da noite para o dia, passou a enxergar na pele da estatal.

Ao lado da bandeira da autonomia administrativa da Petrobras, Aécio Neves vai lançar outra promessa de campanha: a fixação de regras para a correção periódica dos preços dos combustíveis. Exequível ou não !“ e quem se importa com isso? !“, a proposta permitirá a Aécio levantar a bola para si próprio. O candidato do PSDB pretende bater forte na defasagem dos preços dos derivados de petróleo e seu impacto sobre a estatal, apontando para fatos que atestariam os danos causados pelo governo do PT. Um deles seria a desvalorização das ações, que custou à  petroleira a queda do 12!º posto para o 120!º lugar no ranking das maiores empresas dos países emergentes.

A natureza não foi tão perfeita assim com tucanos e congêneres. O mal das aves é que as penas ficam expostas. Ciente dos próximos passos de Aécio Neves, o governo já prepara uma contraofensiva. A intenção do PT é mostrar que por trás das propostas de Aécio esconde-se uma privatização disfarçada da Petrobras, que traria a reboque todos os procedimentos e práticas que durante a gestão de FHC receberam a alcunha de privataria!. Em tempo: são os peixes e não os pássaros que morrem pela boca, mas ontem, em São Paulo, o candidato tucano talvez tenha falado mais do que deveria. Ao soltar o comentário Meu Deus, quem disse que nós vamos privatizar a Petrobras? Nós vamos é reestatizá-la!, mais pareceu um menino preocupado em mostrar que não estava com a mão