Sergio Moro foi ejetado de pesquisa ao governo do Paraná

► Ex-juiz da Lava Jato segue reduzindo sua ambição política, que começou pelo Presidência, desceu para o governo do Paraná e Senado, mas pode terminar na Câmara

O ex-juiz Sergio Moro (União-PR) foi ejetado de uma nova pesquisa de intenções de voto para o governo do Paraná, que foi registrada no TSE pela Real Time Big Data.

A promessa é que a nova pesquisa seja divulgada nesta segunda-feira, dia 27 de junho [abaixo, veja a íntegra do questionário da sondagem].

O levantamento foi contrado pela RIC TV, afiliada da TV Record no Paraná, uma das emissora agraciadas pelo plano de mídia do Palácio Iguaçu – sede do governo estadual.

O governo do Paraná licitou cerca de R$ 161 milhões para a propaganda nas vésperas das eleições de outubro, lembra o deputado estadual Requião Filho (PT).

Na primeira versão registrada no TSE, Moro aparecia no cenário confrontando com o atual governador cessante Ratinho Junior (PSD).

Após pressão do Palácio, a RIC TV ‘afrouxou a tanga’ e pediu para que Moro fosse retirado da simulação ao governo do Paraná.

TRE-PR nega ao PT liminar contra pesquisa “DataMoro” ao governo do Paraná

Agora, o ex-juiz da Lava Jato só aparece na simulação de disputa pelo Senado.

O senador Alvaro Dias (PODE), se não houver fato novo, é favorito para continuar com a única vaga em jogo.

Portanto, a aposta é que Moro concorra a uma das 30 cadeiras que o Paraná têm na Câmara Federal.

A mulher dele, a advogada Janja Moro (União-SP), também pensa disputar a Câmara. Só que ela concorreria pelo estado de São Paulo, repetindo o trajeto feito há quatro anos pela também paranaense Joice Hasselmann (PSDB).

Se Janja Moro e Sergio Moro forem eleitos por SP e PR, respectivamente, eles irão morar juntos em Brasília com direito a auxílio-moradia duplo.

Cada auxílio-moradia na Câmara tem valor de R$ 4.253,00.

Clique aqui para ler as perguntas aos eleitores na Pesquisa da Real Time Big Data [DataMoro].