Ratinho fora do grande jogo no Paraná, segundo o mundo político

A recente adesão do apresentador Ratinho, do SBT às impopulares reformas de Michel Temer afundou a chance de seu filho, Ratinho Junior (PSD), sentar-se na cadeira que hoje pertence ao governador Beto Richa (PSDB).

Na prática, o velho Ratão deu mais importância aos negócios do que à carreira do pequeno Ratinho. Aliás, a sentada no colo do ilegítimo também inviabiliza até mesmo o sonho de ocupar uma das duas vagas do Senado.

Depois do encontro com Temer, o apresentador Ratinho repetiu o mesmo discurso da Globo e dos golpistas de que “as reformas precisam ser feitas para gerar empregos”. Vai vendo… Ainda de acordo com o apresentador, se as mudanças propostas pelo governo não forem realizadas “o Brasil vai se afundar mais”.

A cientista política Ana Bitiruc concorda com a análise em voga no Centro Cívico e na Boca Maldita, no centro de Curitiba. A adesão de Ratinho ao fim da aposentadoria e à semiescravidão, com a reforma trabalhista, detonou a possibilidade de voos mais altos de Júnior.

“Nenhuma candidatura majoritária suportaria dois baús sem alça para carregar — um Beto Richa e outro Michel Temer”, exemplifica a cientista curitibana. Ratinho Junior é secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano no governo do tucano.

O presidente tem apenas 4% de aprovação; o governador do Paraná é o mais reprovado do país com 80% de rejeição.

Portanto, é mais crível Ratinho Junior disputando em 2018 ou a Câmara ou a Assembleia, de novo.

Veja também  Bolsonaro x Ratinho: pedágio, lockdown e eleições podem distanciar os dois políticos

Comments are closed.