Prefeitos começam fazer romaria até Requião e preocupam o Palácio Iguaçu

Prefeitos começam fazer romaria até Requião e preocupam o Palácio Iguaçu

Google News

O Palácio Iguaçu, sede do governo do Paraná, entrou em polvorosa diante do início de romaria de prefeitos até o ex-senador e ex-governador Roberto Requião (sem partido).

“Senhores prefeitos do Paraná, está na hora de começarmos a construir as bases de um governo de verdade. Vamos conversar sobre isso”, convocou Requião pelo Twitter nesta sexta-feira (21/01).

O séquito do governador Ratinho Junior (PSD) teme o pior nos próximos meses. Seus apoiadores avaliam que compraram terreno na Lua ao incorporar no projeto o ex-juiz Sergio Moro e a reeleição de Alvaro Dias, ambos do Podemos.

O botão do pânico foi acionado com o crescimento de Requião nas pesquisas de intenção de votos e o surgimento da candidatura do ex-deputado e ex-prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri Filho, que saiu do Podemos para se empoleirar no PSDB.

“Estou entusiasmado com as pesquisas de opinião que chegam as minhas mãos. Vamos consertar o nosso Paraná e restabelecer a solidariedade, o amor e a identidade com o povo no governo do estado”, disse Requião.

Praticamente, o segundo turno está garantido na disputa pelo governo do Paraná deste ano.

Para mostrar que será enérgico com a dissidência, Ratinho Junior demitiu todos os cargos de chefia na região de Guarapuava que tinham alguma relação com Cesar Silvestri Filho e a mãe dele, deputada estadual Cristina Silvestri (Cidadania).

Requião chamou a reação do governador Ratinho Junior como indicações políticas e considerou as exonerações absurdas. “Coisa de um verdadeiro rato!”, atacou, como se solidarizasse com o neotucano.

Veja também  Chifrudo que invadiu o Congresso é preso nos Estados Unidos