Moro se deu mal na viagem à Alemanha; veja por quê

O ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro, pré-candidato a presidente pelo Podemos, se deu muito mal na viagem que fez à Alemanha. O relato é do jornalista alemão c, que foi entrevistá-lo em Berlim.

Nas impressões do entrevistador alemão, falta a Moro carisma, humor e talento retórico. Ou seja, o ex-juiz se deu mal na viagem à Alemanha.

jQuery(document).ready(function() { $(window).scroll(function () { var set = $(document).scrollTop()+"px"; jQuery('#float-banner').animate({ top:set }, { duration:1000, queue:false }); }); });

Confira os posts de Franzen no Twitter:

1- Fui entrevistar em Berlim Sergio Moro. Como juiz, usou métodos duvidosos para colocar o ex-presidente Lula atrás das grades, foi ministro da Justiça de Bolsonaro e agora faz campanha como candidato à presidência nas próximas eleições. Algumas observações.

2- Moro não vê responsabilidade pela situação caótica do Brasil. A condenação de Lula e a vitória eleitoral de Bolsonaro foram dois eventos distintos que não estão diretamente relacionados entre si.

3- Bolsonaro nunca escondeu o que ele é e o que ele representa. Por que Moro se tornou seu ministro afinal? Bolsonaro era “um pouco exótico”, mas achava que estava se moderando no cargo. É por isso que ele aceitou a nomeação como Ministro da Justiça.

Economia

4- Em abril de 2020, Moro anunciou sua aposentadoria. No entanto, ele não quer chamar sua entrada no governo de um erro. Ele ficou “desapontado” com Bolsonaro e, portanto, não tem culpa. Não há autocrítica a ser ouvida durante toda a conversa.

5- Para a maioria da esquerda, Moro é considerado “juiz ladrão”, um juiz criminal. Ele descarta as críticas a seus métodos, dizendo que nunca agiu fora da lei e que seus oponentes têm uma “visão totalmente distorcida” das coisas.

6- Enquanto isso, porém, não são apenas os esquerdistas que têm dúvidas sobre os métodos de Moro. O Supremo Tribunal Federal decidiu no ano passado que Moro foi parcial no julgamento de Lula. Para Moro, o veredicto representa um retorno à velha impunidade.

7- Moro agora se vende como candidato do centro e de uma “terceira via” – como alternativa a Bolsonaro e Lula. Com seu programa econômico neoliberal, no entanto, ele ainda está completamente alinhado com Bolsonaro. Suas ideias sobre política social e ambiental permanecem vagas.

8- Moro não é um provocador odioso como Bolsonaro. Mas também lhe falta carisma, humor e talento retórico – habilidades que caracterizam Lula. Então vai ser difícil para Moro. Porque personalidade e emoções contam muito na campanha eleitoral brasileira.

Em tempo: Sergio Moro tem sofríveis, no máximo, 8 pontos nas pesquisas de intenção de votos enquanto Lula tem 44% e Bolsonaro 26% [nota do Blog do Esmael].