Moro no governo Ratinho; correligionário do Podemos assume supersecretaria

Moro no governo Ratinho

Não foi por falta de avisos no Blog do Esmael. O governador Ratinho Junior (PSD) “formalizou” o chifre no presidente Jair Bolsonaro (PL) ao incorporar gentes do ex-juiz Sergio Moro (Podemos) no primeiro escalão da administração estadual.

Na próxima segunda-feira, dia 17 de janeiro, o ex-deputado e ex-prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi (Podemos), por exemplo, assume a principal pasta no governo do estado, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SEDU), que intermedia obras a fundo perdido com os 399 municípios do paranaense.

Zucchi, lugar-tenente do senador Alvaro Dias (Podemos), é um dos responsáveis pela aproximação do empresário catarinense Luciano Hang, o Véio da Havan, com Moro. Eles passaram o último Reveillon juntinhos.

Véio da Havan e Zucchi, homem de Moro e Alvaro, com as respectivas esposas, passaram Reveillon juntos este ano.
Véio da Havan e Zucchi, homem de Moro e Alvaro, com as respectivas esposas, passaram Reveillon juntos este ano.

No entanto, os apoiadores de Bolsonaro prometem vingar o chifre no mito. O deputado Felipe Barros (PSL), movido pela traição ao presidente da República, promete trocar o projeto de reeleição à Câmara para combater Ratinho Junior. Ele disse disputará o governo do Paraná em 2022.

A deputada federal Aline Sleutjes (PSL) afirma que, em nome de Jair Bolsonaro, que vai concorrer ao Senado para polarizar com Alvaro.

A entrada de Moro e de Alvaro no governo Ratinho Junior, por meio de correligionários, fragmentou ainda mais a direita no Paraná, enquanto Roberto Requião (sem partido) juntou uma dezena de partidos na federação partidária de esquerda e progressista, cujo trabalho suprapartidário ele iniciou há um ano com a “Geringonça”.