Lula diz que vai mudar política da Petrobras para baixar a gasolina de vez enquanto Bolsonaro ensaboa

Enquanto o presidente cessante Jair Bolsonaro (PL) ensaboa a política de preços da Petrobras, mantendo-a dolarizada, reduzindo provisoriamente o valor dos combustíveis, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) promete mudar a paridade internacional para baixar a gasolina de vez para o consumidor.

Durante sua entrevista para o portal Uol, na manhã desta quarta-feira, 27, Lula afirmou que, se voltar a comandar o governo, uma de suas prioridades vai ser mudar a atual política de preços da Petrobras, recuperar a autossuficiência do Brasil em petróleo e derivados e transformar a empresa em um dos motores do desenvolvimento nacional.

– Eu pretendo mudar a política de preços da Petrobras. Eu pretendo fazer com que os preços da Petrobras sejam em função dos custos nacionais, dos gastos nacionais, porque nós produzimos em real, pagamos salário em real. Ou seja, essa história de PPI, de preço internacional, é para agradar aos acionistas em detrimento de 215 milhões de brasileiros. E a gente pode reduzir o preço sim – afirmou.

Investimentos em pesquisa e infraestrutura são essenciais para essa recuperação, segundo o ex-presidente. Ele recordou a participação de diversos setores da sociedade no conselho administrativo da Petrobras durante seu governo.

– É importante lembrar que no nosso governo descobrimos o pré-sal e não foi sorte, foi investimento em pesquisa. Foi um desafio que nos colocamos para fazer com que o Brasil fosse definitivamente autossuficiente. E quando nós encontramos a mais importante jazida de petróleo do século 21, resolvemos destruir a Petrobras, vender gasodutos, a BR, as refinarias e hoje um país que é autossuficiente em petróleo e poderia exportar derivados, não tem capacidade de refinar o que nós precisamos. O Brasil hoje só tem capacidade de refinar menos de 80% daquilo que consome, é uma vergonha- criticou.

Para Lula, há um erro estratégico sério em como o setor energético vem sendo conduzido no Brasil, fruto especialmente do discurso privatista de membros do atual governo, que querem passar o patrimônio nacional para a iniciativa privada.

– O Paulo Guedes fica falando que tem que dar a Petrobras de graça enquanto os países ricos estão fazendo estoque de petróleo, porque eles sabem que o petróleo ainda vai ser estratégico por muito tempo. Se eu ganhar a eleição, vamos fazer refinaria nesse país, esse país vai ser autossuficiente, vamos restabelecer os royalties, voltar 75% para educação, saúde e ciência e tecnologia e vamos fazer a Petrobras ser, senão a primeira, a segunda maior empresa petroleira do mundo, nós temos condições para isso – declarou.

Lula também defendeu a importância da Petrobras para impulsionar a política industrial do país.

– Quando nós aprovamos a indústria naval e as plataformas, que a Petrobras tinha que contratar 65% de componente nacional, é porque a gente queria ter política industrial e desenvolver uma grande indústria nesse país, infelizmente tudo isso foi destruído – lamentou o ex-presidente.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.