Bolsonaristas e petistas programa manifestação na filiação de Deltan Dallagnol ao Podemos em Curitiba

Bolsonaristas e petistas convocam manifestação na filiação de Deltan Dallagnol ao Podemos em Curitiba

Curitiba, outrora bastião da Lava Jato, poderá virar uma verdadeira praça de guerra na sexta-feira, dia 10 de dezembro, durante filiação do ex-procurador Deltan Dallagnol no Podemos. O evento será às 11 horas no Hotel Mabu, em frente à Universidade Federal do Paraná (UFPR), ponto de encontro das manifestações democráticas e populares na capital do estado.

O Blog do Esmael apurou que, além de petistas, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) também se preparam para encurralar o local (Praça Santos Andrade). Os bolsonaristas prometem levar cartazes e faixas chamando Deltan de “fascista”, “traidor”, dentre outros adjetivos impublicáveis.

Os bolsonaristas estarão fardados de verde e amarelo e os petistas do tradicional vermelho contra um alvo em comum: o ex-procurador Deltan Dallagnol.

Por outro, paira o medo na trincheira lavajatista. Alguns correligionários de “Delta” –apelido do ex-procurador– defendem o cancelamento do evento. Outros acreditam que seria demonstração de fraqueza, por isso votaram pela manutenção do ato de filiação no Podemos, custe o que custar.

Resta saber se os seguidores de Sergio Moro e Deltan comparecerão no campo de batalha, isto, na Rua XV de Novembro, 830, no centro de Curitiba.

Devido à tensão geral, Deltan Dallagnol exigiu que os convidados apresentem na entrada do hotel nome completo, endereço, RG [identidade] e CPF. “Só falta fazer uma consulta ao Serasa”, ironizou ao Blog do Esmael uma liderança do Podemos no interior do Paraná.

Deltan Dallagnol se filiou no Podemos para se candidatar da deputado federal pelo Paraná nas eleições de 2022.

Em Curitiba, o clima mudou. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, lidera as pesquisas de intenção de voto na capital de todos os paranaenses.

Leia também

Podemos teme protesto na filiação de Deltan Dallagnol na sexta-feira

Nem a pau, Juvenal: 61% não votariam em Sergio Moro; ex-juiz empata com Bolsonaro na rejeição

Lula vence no primeiro turno; petista vence todos adversários no 1º e no 2º turno