Empresário Luciano Hang, o Véio da Havan, ironiza relatório final de Renan Calheiros na CPI da Covid [vídeo]

Empresário Luciano Hang, o Véio da Havan, ironiza relatório final de Renan Calheiros na CPI da Covid [vídeo]

O empresário catarinense Luciano Hang, o Véio da Havan, fez uma Live em suas redes sociais nesta quarta-feira (20/10) para ironizar o relatório final da CPI da covid-19.

Se o presidente Jair Bolsonaro deu uma gargalhada, segundo relatou seu filho, senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), o Véio da Havan surgiu no vídeo com nariz de palhaço em alusão ao que ele considera a comissão de investigação um “circo” e os senadores “palhaços” no picadeiro.

Hang disse que teve a oportunidade de explicar aos brasileiros o que ele e a Havan haviam feito em prol da saúde e dos empregos durante a pandemia quando fora convocada pela CPI.

Sobre o pedido do seu indiciamento, o Véio da Havan afirmou que não esperava um resultado diferente, pois se trata de uma CPI política amparada em narrativas, não em fatos e muito menos em provas. “Estão pedindo que eu seja indiciado sem ter cometido crime algum. Só no Brasil você é culpado até provar a inocência e não o contrário. Parece piada, mas é a realidade. Quero dizer a toda população que estou tranquilo e muito agradecido ao senador Renan Calheiros por ter me chamado”, discursou.

Hang ressaltou que se sentiria constrangido se não houvesse o pedido de seu indiciamento pelo relator Renan Calheiros. “Ser apontado como alguém que cometeu um crime justamente pelo senador Renan Calheiros, que já acumulou 25 processos no Supremo no Tribunal Federal (STF), investigações pela Polícia Federal e pelo Ministério Público, conforme notícia da Gazeta do Povo, é algo para se colocar no currículo. Vejo como uma das maiores honrarias que eu poderia receber na vida”, atacou.

Durante a live, Luciano Hang também comentou que a CPI evidenciou o péssimo desempenho de alguns senadores da República. Lembrou que durante os seis meses da CPI não houve qualquer investigação sobre o uso dos recursos destinados aos estados para os hospitais de campanha e a aquisição de respiradores. “Os senadores não querem ajudar ninguém e não estão a favor do povo. Usaram a CPI como palanque político, pensando nas eleições que se aproximam. Querem o poder pelo poder e para isso fazem qualquer coisa. Vale até falar da mãe dos outros. Mas o tiro saiu pela culatra”.

O Véio da Havan é pré-candidato ao Senado pelo estado de Santa Catarina, portanto, se for eleito em 2022, ele será colega do Renan e demais parlamentares que o indiciaram hoje.

O empresário frisou que a atuação da Comissão foi importante ferramenta para que os brasileiros vissem o quanto é preciso que haja mudanças no cenário político. “As pessoas precisam votar melhor, buscar representantes que pensem no bem coletivo e não somente em si próprios. Espero que a população esteja mais consciente de que o nosso país tem tudo para dar certo, mas para isso precisamos de representantes que queiram o desenvolvimento do Brasil. Não foi isso que os nossos senadores mostraram nesta CPI. Mas tenho convicção que nas próximas eleições o povo vai saber ficar do lado certo”.

Por fim, sobre as acusações que a CPI atribuiu a Hang no relatório, novamente ele ressaltou que segue tranquilo, pois não há como provar algo que ele não fez. Ainda lembrou que não existe crime de opinião no Brasil. “Opinião cada um tem a sua, se eu vejo alguma informação de relevância, que pode ajudar as pessoas a refletirem e compartilho em minhas redes sociais, não há nada de errado nisso. Sobre o relatório final da CPI, tenho certeza que a verdade irá prevalecer. Quem não deve não teme”.

Assista à íntegra do vídeo com o Véio da Havan

Leia também

O que Renan Calheiros leu na CPI da Covid; veja o resumo dos pedidos de indiciamentos

Família Bolsonaro foi indiciada no relatório final da CPI da Covid; siga ao vivo

Deu no New York Times: ‘Bomba, Bolsonaro é acusado de homicídio’