Prevent Senior fez pacto do 'diabo' com o governo, revela a CPI

Prevent Senior fez pacto do “diabo” com o governo, revela a CPI da Pandemia [vídeo]

A CPI da Pandemia revelou nesta terça (28/09), durante o depoimento da advogada Bruna Morato, que a operadora de saúde Prevent Senior fez pacto do “diabo” com o governo Jair Bolsonaro.

A depoente surpreendeu a comissão de investigação ao afirmar que havia um pacto –presume-se do “diabo”– para validar a cloroquina [medicamento ineficaz no tratamento da covid] e frear a lockdown.

De acordo com a advogada, o governo federal tinha esse “pacto” com a Prevent Senior para validar o tratamento com o chamado “kit covid”.

A prescrição era uma estratégia do plano de saúde para evitar a internação de pacientes nos hospitais da rede e reduzir custos.

Morato disse ainda aos senadores que o conluio ainda envolvia o Ministério da Economia, pasta de Paulo Guedes, para enganar os brasileiros de que a situação estava sob controle –quando não estava.

“Existe um interesse do Ministério da Economia para que o país não pare e, se nós entrarmos no sistema de lockdown, teremos um abalo muito grande. Existia um plano para as pessoas saírem para a rua sem medo. Eles desenvolveram uma estratégia. Qual? Através do aconselhamento de médicos. Era Anthony Wong, toxicologista, a doutora Nise Yamaguchi, especialista em imunologia, o virologista Paolo Zanotto. E a Prevent Senior iria entrar para colaborar com essas pessoas”, declarou.

Na pandemia, o Brasil perdeu cerca de 600 mil vidas enquanto o governo enaltecia “tratamento precoce” e retardava a vacinação no País.

Bruna Morato prestou depoimento como convidada, na condição de testemunha e advogada de 12 médicos, resguardada pelo Código de Processo Penal (CPP) para manter em sigilo a identidade de seus clientes.

Assista ao vivo:

Leia também
Ao vivo: CPI realiza hoje sessão de “aquecimento” para depoimento do Véio da Havan

Único que pode abrir o impeachment, Lira diz que Brasil não pode tolerar preços abusivos dos combustíveis

Requião convoca manifestação pelo Fora Bolsonaro no sábado, dia 2 de outubro