Bobo da Corte, Louro José, Palhaço, Véio da Havan, Fanfarrão, são os apelidos do empresário Luciano Hang

Bobo da Corte, Louro José, Palhaço, Véio da Havan, Fanfarrão, são os apelidos do empresário Luciano Hang

O empresário catarinense Luciano Hang, na CPI da Pandemia, deixou aflorar seus apelidos: Bobo da Corte, Louro José, Palhaço, Véio da Havan, Fanfarrão, Burro, etc.

Os adjetivos presidem a sessão da comissão de investigação no Senado.

Luciano Hang, o Véio da Havan, negou que seja sonegador de impostos e jurou jamais intimidou os meus colaboradores [empregados] na campanha de 2018. “São as pessoas que vão contar que tudo isso é mentira.”

À CPI, Luciano Hang disse que não financiou atos antidemocráticas no dia 7 de setembro e que não financiou atos favoráveis ao governo Bolsonaro, bem como nunca se reuniu com o presidente da República para tratar sobre a pandemia de covid-19.

Sobre o financiamento de sites que propagam fake news, o Véio da Havan afirmou que pagou R$ 250 milhões em anúncios para a plataforma Google.

Especificamente, Luciano Hang disse que não patrocinou o site do blogueiro Allan dos Santos, que é investigado pelo STF no processo sobre propagação de fake news.

Burro, Véio da Havan, Bobo da Corte, Palhaço, seja o que for, a despeito das mentiras, o empresário Luciano Hang segue conseguindo divertir-se na CPI.

Acompanhe a CPI da Covid [vídeo]

Leia também

Luciano Hang, o Véio da Havan, depõe hoje na CPI da Pandemia; acompanhe ao vivo

Sergio Moro é ‘tudo ou nada’ para a Presidência em 2022, dizem lavajatistas

Arthur Lira é o “Zé Trovão” do bolsonarismo na Câmara

Lula defende anistia à dívida de estudante para facilitar acesso à universidade pública [vídeo]