Com a missão de filiar Requião, Carlos Lupi, do PDT, desembarca hoje em Curitiba

Com a missão de filiar Requião, Carlos Lupi, do PDT, desembarca hoje em Curitiba

Daqui a pouco, por volta das 19 horas, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, irá visitar o ex-governador e ex-senador Roberto Requião com a missão de filiá-lo na legenda de Leonel Brizola.

Requião, Lupi e PDT são da mesma cepa nacionalista, no entanto, o ex-governador paranaense vai repetir ao dirigente pedetista o que segue:

1- O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, é o franco favorito para vencer as eleições de 2022;
2- Gostaria de ver o ex-ministro Ciro Gomes na mesma chapa presidencial do petista; e
3- A elaboração de uma plataforma progressista, que prevê revogação de privatizações, e estabeleça uma política antiliberal, que privilegie o emprego e do desenvolvimento nacional.

Lupi, por sua vez, já avisou que não vai forçar a barra para filiar Requião. O presidente nacional do PDT também disse que o partido, independente do rumo do ex-governador, irá apoiá-lo na disputa pelo governo do Paraná em 2022.

Leia também
Requião recebe dirigentes da CUT nas vésperas de encontro com Lula

Lula vai receber Requião na quinta em São Paulo, confirma ex-governador do PR

Requião deve se filiar no PT, segundo os seguidores do ex-governador do Paraná

A posição do PDT é bastante parecida com as demais agremiações progressistas, que, embora desejem a filiação de Requião, se comprometeram a apoiá-lo numa frente batizada de “Geringonça” para derrotar no estado o governador Ratinho Junior (PSD) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Nesta quinta-feira, 5 de agosto, em São Paulo, Requião se encontrará com Lula. Mas aí é outra conversa, que farei com você ainda nesta quarta-feira (04/08).

Na segunda-feira (02/08), Requião oficializou a desfiliação do MDB e agora procura uma nova legenda para concorrer ao Palácio do Iguaçu. “O partido é uma ferramenta de participação política, apenas isso”, disse.

Além de PDT, também almejam o “passe” de Requião os seguintes partidos políticos: PSB, PT, PSOL e PCdoB. O PCO, de Rui Pimenta, com quem o ex-governador paranaense tem afinidades, igualmente estuda convidar o ex-emedebista.