Paulo Guedes e Jair Bolsonaro

Paulo Guedes agride pobres ao dizer que “Fies bancou até filho de porteiro” que zerou em vestibular

  • Ministro Paulo Guedes está pendido para sair do Ministério da Economia. Só pode

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está pedindo para deixar o cargo quando faz essas declarações esdrúxulas contra o povo pobre do Brasil. Só pode. Segundo ele, indignado, o “Fies bancou até filho de porteiro que zerou vestibular” –revelando como ele pensa: ‘o país deve ser só para alguns mais ricos.’

Ministro da Economia disse também que o programa de financiamento estudantil foi “desastre” porque enriqueceu meia dúzia de empresários da educação.

Guedes atacou o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), durante reunião com outros ministros, na terça-feira (27/4), mas ele não sabia que a reunião estava sendo gravada.

“O porteiro do meu prédio, uma vez, virou para mim e falou assim: ‘Seu Paulo, eu estou muito preocupado’. O que houve? ‘Meu filho passou na universidade privada’. Ué, mas está triste por quê? ‘Ele tirou zero na prova. Tirou zero em todas as provas e eu recebi um negócio dizendo: Parabéns, seu filho tirou…’”, zombou o ministro da Economia.

As intervenções de Paulo Guedes ocorreram na reunião do Conselho de Saúde Suplementar (Consu), da qual participaram, além do ministro da Economia, os titulares da Saúde, Marcelo Queiroga; da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos; e da Justiça, Anderson Torres. Ainda acompanharam o debate representantes do Ministério Público Federal (MPF) e da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Leia também

Paulo Guedes, o linguarudo

Nesta mesma reunião, Guedes disse que os chineses “inventaram” o coronavírus e que a vacina do país para impedir o avanço da doença é “menos efetiva” do que o imunizante da Pfizer, dos Estados Unidos.

“O chinês inventou o vírus, e a vacina dele é menos efetiva do que a americana. O americano tem 100 anos de investimento em pesquisa. Então, os caras falam: ‘Qual é o vírus? É esse? Tá bom, decodifica’. Tá aqui a vacina da Pfizer. É melhor do que as outras”, afirmou Guedes na reunião do Conselho de Saúde Suplementar (Consu).

Há quem defenda colocar uma mordaça do ministro da Economia. Outros acreditam que é preciso deixar ele falar e, assim, abreviar sua permanência no cargo.

Uma terceira corrente, no entanto, aponta que Guedes estaria pedindo para sair do governo e por isso vem barbarizando.

Note o caríssimo leitor que não se tratou de um deslize do ministro da Economia. Ele já xingou aposentados e servidores públicos de vagabundos e parasitas, respectivamente.

Ao atacar o filho do porteiro, Guedes está apenas sendo Guedes e reproduzindo o pensamento médio do governo do presidente Jair Bolsonaro.