Sputnik V irá fornecer 10 milhões de doses ao Brasil

  • Após assinatura de contrato, laboratório russo enviará 400 mil doses até o fim de abril, 2 milhões no fim de maio e 7,6 milhões em junho

O Instituto Gamaleya, da Rússia, assinou nesta sexta-feira (12/3) contrato de venda de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V para o Ministério da Saúde.

A distribuição do imunizante no Brasil é feito pela União Química, empresa conhecida do governo do Paraná, que, recentemente, refugou contrato assinado em agosto de 2020 para a produção da vacina.

Água passadas não movem moinho? Talvez.

LEIA TAMBÉM
Ao vivo: Anvisa libera registro de vacina e de medicamento contra covid-19

O Ministério da Saúde fechou acordo para a compra de 400 mil doses até o fim de abril, 2 milhões no fim de maio e 7,6 milhões em junho. No entanto, a pasta afirma que só fará o pagamento pelas doses após a vacina receber autorização emergencial de uso ou registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O governo já autorizou a compra da vacina em 20 de fevereiro com empenho de R$ 694 milhões, ao custo de US$ 12 (R$ 67) cada dose do imunizante.

Segundo a revista científica “The Lancet”, a eficácia da vacina Sputnik V é de 91,6%.

Tirando a eficácia, o custo, a necessidade dos imunizantes, há um forte lobby político por trás das vacinas russas que até Deus duvida.