Maia diz que governo ‘está desesperado’ pela presidência da Câmara

Compartilhe agora

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou nesta quarta-feira (9) o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por tentar interferir na sua sucessão no comando da Casa. Segundo ele, o Executivo quer impor uma agenda contra o meio ambiente e contra as minorias no Parlamento.

Rodrigo Maia afirmou durante a sessão plenária que quer ajudar na construção de um movimento da Câmara livre de interferências e que amplie ao máximo possível a participação dos partidos e da sociedade no Legislativo. De acordo com ele, o governo quer construir uma candidatura para derrotá-lo e pautar a chamada “agenda de costumes”.

“O governo está desesperado para tomar conta da presidência da Câmara, para desorganizar a agenda do meio ambiente, para flexibilizar a venda e entrega de armas neste país, entre outras agendas que desrespeitem a sociedade e as minorias”, afirmou Rodrigo Maia.

Embora ainda não tenha escolhido oficialmente um nome para sua sucessão, Maia afirmou que o ideal é um parlamentar que possa unificar a Câmara e garantir a independência de outros Poderes e o fortalecimento da democracia no País. O presidente destacou que o nome do seu grupo político será uma construção coletiva e não uma imposição sua, individual.

“Claro que o nome precisa sair rápido, porque ele precisa fazer campanha. Nós vamos construir um candidato que não é contra o Bolsonaro, mas um candidato que defenda a liberdade da Câmara”, disse.

O Centrão, com apoio do presidente Bolsonaro, lançou nesta quarta-feira a candidatura de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara. O grupo é composto pelos partidos PL, PP, PSD, Solidariedade e Avante, que somados contabilizam 135 deputados.

Com informações da Agência Câmara

Centrão lança Arthur Lira, com Bolsonaro e tudo, à Presidência da Câmara

Panelaço pela vacina às 20h30 de hoje

EUA processam o Facebook por abuso de poder e monopólio nas redes sociais