Havana volta ao lockdown após aumento de casos de Covid-19

O governo da República de Cuba colocou Havana novamente em um rígido lockdown a partir do último sábado (8), após o ressurgimento de casos do novo coronavírus. As medidas adotadas decretaram o fechamento de restaurantes, bares e piscinas, e ainda suspenderam o transporte público e o acesso à praia.

Cuba, considerada uma rara história de sucesso na América Latina pela maneira como lidou e conteve a pandemia de coronavírus, havia aliviado as restrições no mês passado, após a expressiva redução dos contágios diários da doença.

Mas os casos de Covid-19 voltaram a crescer aos níveis de abril ao longo das últimas duas semanas, com o Ministério da Saúde relatando 59 casos no sábado e dizendo que a situação pode se tornar “incontrolável” se as autoridades não agirem rapidamente.

LEIA TAMBÉM:

URGENTE: Presidente do STF é internado em Brasília

Globo bolsonarista manipula a crise econômica na pandemia de Covid-19

Ex-ministro Santos Cruz faz duras críticas a Bolsonaro pelos 100 mil mortos da Covid-19

O sistema gratuito de saúde, baseado no atendimento preventivo nos locais próximos de moradia (bairros e distritos), de Cuba recebeu o crédito, junto com medidas rígidas de isolamento dos doentes e seus contatos, pelo total de casos ter ficado abaixo de 2.900, com 88 mortes, em uma população de 11 milhões de pessoas.

As autoridades, porém, repreenderam cubanos por terem baixado a guarda depois que o lockdown foi aliviado, sem manter distância física ou usar máscaras adequadamente, obrigatórias em espaços públicos, e por se reunirem em grandes grupos.

*Com agências internacionais